Suspeita

Jornal dos Estados Unidos mostra vídeo que aparenta mostrar míssil atingindo avião ucraniano

Aeronave caiu na última terça-feira e matou 176 pessoas

Thiago Wagner Thiago Wagner
Thiago Wagner
Thiago Wagner
Publicado em 09/01/2020 às 20:31
Notícia
Foto: Reprodução/Video
Aeronave caiu na última terça-feira e matou 176 pessoas - FOTO: Foto: Reprodução/Video
Leitura:

O jornal norte-americano "The New York Times" divulgou nesta quinta-feira (9) um vídeo que aparenta mostrar o exato momento em que o avião ucraniano, que caiu no Irã e matou 176 pessoas na última terça-feira, é atingido por um míssil. A publicação foi feita no Twitter do jornal, que afirma ter verificado o vídeo.

 Escute o podcast O Fato é sobre a crise do Irã

 

Segundo o The New York Times, o vídeo mostra que uma pequena explosão aconteceu quando o míssil atingiu o avião, mas a aeronave em si, em um primeiro momento, não explodiu: continuou voando por alguns minutos e virou na direção do aeroporto. Então continuou voando, em chamas, para o aeroporto antes de explodir e bater no solo, segundo mostram outros vídeos verificados pelo jornal.

>> Ucrânia pede a aliados 'provas' sobre avião que caiu no Irã

>> Irã diz que não faz sentido falar que mísseis derrubaram avião ucraniano

CANADÁ DIZ QUE HÁ EVIDÊNCIAS

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, afirmou nesta quinta-feira (9) que "há evidências" de que o Boeing 737 ucraniano que caiu após decolar de Teerã foi derrubado sem intenção pelo Irã.

Em coletiva de imprensa, o mandatário disse que uma investigação preliminar a qual teve acesso ontem à noite indica a "possível" causa da queda, mas que ainda é muito cedo para tirar conclusões sobre a responsabilidade pelo ocorrido. "Nós precisamos de uma investigação completa e com credibilidade", acrescentou.

Trudeau também afirmou que, por enquanto, o Irã não deseja entregar a caixa preta da aeronave. Segundo o primeiro-ministro canadense, porém, as autoridades iranianas indicaram ao presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski, que liberarão o acesso para uma investigação.

"Vamos conversar com nossos parceiros internacionais, continuar as investigações e falar com o Irã sobre isso", declarou.

Ao ser questionado sobre uma possível responsabilidade também dos Estados Unidos pela queda da aeronave, Trudeau voltou a dizer que é muito cedo para tirar conclusões.

IRÃ PEDE QUE CANADÁ COMPARTILHE INFORMAÇÃO

O Irã solicitou ao Canadá que compartilhe sua informação sobre a queda do avião  ucraniano na região de Teerã, após a fala do primeiro-ministro canadense.

Em um comunicado sobre "certas colocações de cenários duvidosos", o ministério iraniano das Relações Exteriores pediu ao Canadá que "compartilhe" as informações com a comissão de investigação criada no Irã e convidou a Boeing, fabricante da aeronave, para "participar" do processo.

"A República Islâmica do Irã começou sua investigação para identificar a causa da queda deste avião, com base nos padrões internacionais e nas regulamentações" da aviação civil internacional.

O Irã "convida a Ucrânia, como proprietária do avião, e a Boeing, como fabricante do avião, a participar da investigação", acrescenta o comunicado do ministério.

Teerã disse estar disposto a integrar na investigação especialistas de todos os países que perderam cidadãos na tragédia.

No acidente morreram as 176 pessoas a bordo, principalmente canadenses de origem iraniana, mas também afegãos, britânicos, suecos e ucranianos.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou nesta quinta-feira que dispõe de informações de que o avião ucraniano foi "derrubado" por um míssil iraniano.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias