GUERRA

Dezenas de bombardeios aéreos na Síria contra a zona rebelde de Aleppo

Os bombardeios acontecem pela terceira semana consecutiva no país

AFP
AFP
Publicado em 14/10/2016 às 9:42
Foto: GEORGE OURFALIAN / AFP
Os bombardeios acontecem pela terceira semana consecutiva no país - FOTO: Foto: GEORGE OURFALIAN / AFP
Leitura:

Dezenas de bombardeios executados por aviões do regime sírio e de sua aliada Rússia foram registrados na madrugada de quinta-feira para sexta-feira contra a zona rebelde de Aleppo, informou a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

"Vários bairros da zona leste de Aleppo foram intensamente bombardeados a partir da madrugada e até agora", disse à AFP Rami Abdel Rahman, diretor do OSDH, que não teve condições de anunciar um eventual balanço de vítimas.

Os bombardeios acontecem pela terceira semana consecutiva, desde o início de uma ofensiva do exército sírio para reconquistar a parte rebelde de Aleppo, segunda maior cidade síria, controlada pelos insurgentes desde 2012.

"A violência dos bombardeios demonstram que há uma decisão russa de tomar o leste de Aleppo a qualquer preço", disse Abdel Rahman.

Na quinta-feira, as Forças Armadas russas anunciaram a disposição de garantir aos rebeldes armados uma saída desta metrópole do norte do país, dois dias antes do início, programado para sábado, de novas negociações entre Rússia e Estados Unidos sobre a Síria.

Na parte rebelde da cidade, onde vivem 250.000 habitantes, mais de 370 pessoas, em sua maioria civis - incluindo 68 crianças - morreram desde 22 de setembro pelos bombardeios aéreos e os disparos de artilharia, segundo o OSDH.

Guerra Civil

Iniciada em 2011, a guerra civil na Síria se tornou gradualmente mais complexa e o conflito ganhou dimensão internacional. Mais de 300.000 pessoas morreram e mais de 13,5 milhões de sírios, incluindo seis milhões de crianças, precisam de ajuda humanitária, de acordo com a ONU.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias