Eleições

Aécio: pesquisas detectaram sentimento de mudança

Candidato também comentou que sua candidatura representa uma libertação para o Brasil

Adriana Oliveira
Adriana Oliveira
Publicado em 13/10/2014 às 17:20
JC Imagem
Candidato também comentou que sua candidatura representa uma libertação para o Brasil - FOTO: JC Imagem
Leitura:

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, ironizou nesta segunda-feira, 13, os erros das pesquisas de opinião no primeiro turno. Em tom de brincadeira, Aécio disse que as pesquisas só conseguiram captar o desejo de mudança. "A mudança venceu. Talvez tenha sido esse o único acerto das pesquisas de opinião, que captavam há algum tempo esse sentimento."

O candidato do PSDB disse na tarde desta segunda-feira (13), em discurso a correligionários em Curitiba, que sua eleição representará uma "libertação" para o Brasil.

"Quinze dias nos separam da libertação. Da libertação de um governo que respeita muito pouco a democracia que, como eu disse em Pernambuco, não respeita seus adversários", afirmou o tucano, antes de completar dizendo que vai vencer a eleição para "colocar a decência e a eficiência de novo a comandar os destinos dos brasileiros".

Ao lado de José Serra, recém-eleito senador por São Paulo, Aécio prometeu responder cada ataque petista com "dez verdades sobre eles". 

Após a entrevista, o tucano discursou para políticos e militantes. Ao seu lado estavam os senadores eleitos Álvaro Dias e José Serra, além do governador do Paraná, Beto Richa. Em sua fala, Aécio agradeceu a votação no Estado. "O Paraná disse e o Brasil escutou: chega de desgoverno", discursou. 

Ao deixar o ato político, o candidato foi recebido na diretoria da Pastoral da Criança. Lá, ao lado do vice-governador do Paraná Flávio Arns, assinou o pedido de beatificação da criadora da Pastoral, Zilda Arns, que morreu em 2010 em um terremoto no Haiti. Flávio é sobrinho de Zilda.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias