Direitos Humanos

Audiência pública no Senado denuncia racismo, violência e preconceito religioso

Evento prestou homenagem a Abdias Nascimento e destacou a busca de soluções para a desigualdade racial

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 25/08/2015 às 11:04
Foto: Geraldo Magela/Agência Senado
Evento prestou homenagem a Abdias Nascimento e destacou a busca de soluções para a desigualdade racial - FOTO: Foto: Geraldo Magela/Agência Senado
Leitura:

Participantes de uma audiência pública realizada nesta segunda (24) na Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal denunciaram situações de racismo na sociedade brasileira, destacando  os números de jovens negros vitimados pela violência, as burlas ao sistema de cotas raciais na Educação e em concursos, e os atentados contra seguidores de religiões afro-brasileiras. Contudo, eles reconheceram os avanços da luta pela igualdade racial no País, prestando ainda homenagem ao ativista Abdias Nascimento, falecido em maio de 2011, aos 97 anos.

O escritor nigeriano Wole Soyinka, Prêmio Nobel de Literatura em 1986, também esteve presente na audiência e comparou o obscurantismo religioso a uma nova forma de escravidão, que a seu ver esconde-se “sob a máscara da certeza moral e do moralismo” para aniquilar valores e crenças diversas.

A audiência girou em torno do tema "Grandes Vultos: O legado vivo de Abdias Nascimento".  A proposta foi do presidente da comissão, senador Paulo Paim (PT-RS), que também dirigiu os trabalhos. Para o senador, o evento serviu para renovar a luta de um brasileiro que sempre buscou soluções efetivas para “a desigualdade social que sempre pesou contra o povo negro”.

Leia mais sobre audiência aqui.

Últimas notícias