TRIPLO X

Em nova ação da Lava Jato, PF prende proprietária de tríplex no Guarujá

O apartamento que seria do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o tríplex 164 A, na torre vizinha

Do Estadão Conteúdo
Do Estadão Conteúdo
Publicado em 27/01/2016 às 9:27
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
O apartamento que seria do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o tríplex 164 A, na torre vizinha - FOTO: Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

A Polícia Federal prendeu na manhã desta quarta-feira (27) em São Paulo, Neuci Warken, que consta como proprietária do tríplex 163 B no Condomínio Solaris, da OAS, no Guarujá, cidade do litoral de São Paulo. O apartamento que seria do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o tríplex 164 A, na torre vizinha.

A prisão foi feita no âmbito da 22ª fase da Operação Lava Jato, denominada Triplo X, que teve início hoje com operações em São Paulo e em São Bernardo e Santo André, no ABC Paulista. A PF também está fazendo investigações em Joaçaba (SC).

São alvos da operação a Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), o Grupo OAS e a Mossac Fonseca, empresa que teria montado offshores. Segundo a PF, este desdobramento da Lava Jato apura "a existência de estrutura destinada a proporcionar a investigados na operação policial a abertura de empresas offshores e contas no exterior para ocultar ou dissimular o produto dos crimes de corrupção, notadamente recursos oriundos de delitos praticados no âmbito da Petrobras"

Integrantes da Lava Jato iniciaram por volta das 10h uma entrevista coletiva para detalhar os detalhes da nova fase da operação.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias