governo

Gilmar Mendes diz que Dilma colocou "tutor" na Presidência

Além de tentar ajudar no impasse político, a nomeação do ex-presidente faz com que ele ganhe foro privilegiado, saindo assim da alçada do juiz federal Sérgio Moro

Do Estadão Conteúdo
Do Estadão Conteúdo
Publicado em 16/03/2016 às 17:50
Foto: Pedro França/Agência Senado
Além de tentar ajudar no impasse político, a nomeação do ex-presidente faz com que ele ganhe foro privilegiado, saindo assim da alçada do juiz federal Sérgio Moro - FOTO: Foto: Pedro França/Agência Senado
Leitura:

Sem citar o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, afirmou nesta quarta-feira (16) que a presidente Dilma Rousseff teve de colocar um "tutor" na Presidência para tentar superar a crise pela qual passa o País. Após uma longa negociação com Dilma, Lula vai assumir a Casa Civil do governo, conforme anúncio feito nesta quarta-feira.

O comentário de Mendes foi feito durante a votação do recurso sobre o rito do impeachment no Congresso apresentado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Além de tentar ajudar no impasse político, a nomeação do ex-presidente faz com que ele ganhe foro privilegiado, saindo assim da alçada do juiz federal Sérgio Moro. O ex-presidente é alvo de investigação da Operação Lava Jato, por suspeita de ter recebido vantagens indevidas de empreiteiras envolvidas no esquema de corrupção na Petrobras.

Gilmar Mendes também ironizou o fato de Dilma ter escolhido um "tutor com problemas na Justiça". Mais cedo, ele já havia dito que a nomeação de Lula causava "preocupação" ao Supremo e que a Corte teria que analisar se essa escolha foi apenas para tirar as investigações sobre Lula das mãos de Moro.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias