câmara federal

Câmara precisa tirar o ranço do toma lá dá cá, diz Rodrigo Maia

Novo presidente da Câmara diz ter confiança na unificação da base de Michel Temer e promete dialogar com a oposição

JC Online
JC Online
Publicado em 18/07/2016 às 9:32
Foto: J. Batista/Câmara dos Deputados
Novo presidente da Câmara diz ter confiança na unificação da base de Michel Temer e promete dialogar com a oposição - FOTO: Foto: J. Batista/Câmara dos Deputados
Leitura:

Eleito para a presidência da Câmara derrotando o centrão, núcleo ligado ao ex-presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou nesta segunda-feira (18), estar confiante na reunificação da base para conseguir votar as medidas propostas pelo presidente interino Michel Temer (PMDB), em entrevista á Rádio Jornal. "A Câmara precisa superar esse momento ruim e voltar a fazer política de verdade. Voltar a debater. E tirar um pouquinho esse ranço do toma lá, dá cá", defendeu. Para o democrata, não adianta aumentar impostos, é preciso cortar despesas do governo.

>> [Blog de Jamildo] -''Começamos a sair do fundo do poço'', diz novo presidente da Câmara dos Deputados

Maia também disse que vai dialogar com o líder do governo, André  Moura (PSC-SE), e com o deputado Rogério Rosso (PSD-DF), que representou o centrão na disputa. "Eu quero acabar daqui a pouco com essa discussão de duas bases.  Acabar com isso de centrão e antiga oposição. É uma base só. De forma coletiva, nós vamos poder acabar com essa divisão", sinalizou.

Ouça a íntegra da entrevista no site da Rádio Jornal.

O novo presidente da Câmara também prometeu baixar a temperatura do debate interno da Casa e dialogar com a oposição. "Muitos dos deputados da oposição sabem a atual situação do Brasil. Eu acredito que tem muita gente querendo colaborar", disse. "Está todo mundo vendo que a situação do Brasil está tão grave que não dá mais para ficar fazendo palanque", afirmou ainda.

>> [Coluna do Estadão] - Em março, Rodrigo Maia pediu reembolso de R$ 3,70 à Câmara dos Deputados

Segundo o novo presidente da Câmara, pautas como a renegociação da dívida dos estados e a mudança nas regras de exploração do pré-sal, que já estão prontas para irem ao plenário, devem ser pautadas logo na volta do recesso. Ele também indicou que vai trabalhar para que a Comissão de Constituição e Justiça da Casa aprove logo na primeira semana de agosto a PEC que estabelece um teto para o aumento do gasto público federal.

IMPEACHMENT E OLÍMPIADAS - Governista, Rodrigo Maia disse ser óbvio que a sinalização é que o resultado do impeachment seja pela manutenção de Temer. Segundo o democrata, a reação do mercado dá sinais de que o Brasil começa a sair do fundo do poço, mas falta muito e o Congresso precisa ajudar.

Deputado pelo Rio de Janeiro, Maia também falou sobre a preparação para as Olimpíadas na cidade e disse que o País tem condições de fazer um belo evento. "No meu ponto de vista, o Brasil não está no radar desses conflitos de terrorismo", disse.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias