CORRUPÇÃO

Cade irá apurar formação de cartel na Usina de Belo Monte

Empreiteira Andrade Gutierrez firmou acordo de leniência com o Cade e delatou o esquema nas licitações

JC Online
JC Online
Publicado em 16/11/2016 às 16:33
Ricardo Joffily/DPU
Empreiteira Andrade Gutierrez firmou acordo de leniência com o Cade e delatou o esquema nas licitações - FOTO: Ricardo Joffily/DPU
Leitura:

A empreiteira Andrade Gutierrez delatou ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a existência de um cartel para a disputa de licitações de costrução e operação da Usina de Belo Monte, no Pará. A superintendência-geral do Cade instaurou, nesta quarta-feira (16), inquérito administrativo para apurar o caso.

Segundo a Gutierrez, participaram do cartel a Camargo Corrêa, a Odebrecht e cerca de seis executivos e ex-excutivos " do alto escalão" das empresas.

De acordo com a Andrade Gutierrez, as três empreiteiras começaram a falar sobre a formação do cartel em julho de 2009. Na ocasião, ficou acertado que elas se dividiriam em dois consórcios. No leilão, porém, outro grupo venceu a obra.

Acordo

O acordo entre a Andrade Gutierrez e o Cade foi celebrado em setembro deste ano em conjunto com a força-tarefa da Lava Jato. Segundo a Folha de São Paulo, ele vinha sendo mantido sob sigilo para não prejudicar as investigações. A empreiteira apresentou provas da denúncia.

O acordo com a Andrade Gutierrez é quarto firmado pelo Cade em decorrência das investigações da Lava Jato.

A partir da colaboraçaõ, o Cade irá aprofundar as investigações e emitir recomendação de pena às empresas envolvidas. O Cade pode aplicar multas de até 20% do faturamento das empresas em caso de condenação.

A Andrade Gutierrez afirmou que está colaborando com as investigações.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias