LAVA JATO

Prisão de Sérgio Cabral não afeta o PMDB, avalia Jucá

"O partido não se afeta. É algo restrito. Não vamos personalizar essa questão nem no partido e nem no Rio de Janeiro", afirmou Romero Jucá

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 17/11/2016 às 12:20
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
"O partido não se afeta. É algo restrito. Não vamos personalizar essa questão nem no partido e nem no Rio de Janeiro", afirmou Romero Jucá - FOTO: Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
Leitura:

O presidente nacional do PMDB, senador Romero Jucá (RR), afirmou nesta quinta-feira (17) que a prisão do ex-governador do Rio de Janeiro e colega de partido, Sérgio Cabral, não afeta a legenda. "O partido não se afeta. É algo restrito. Não vamos personalizar essa questão nem no partido e nem no Rio de Janeiro", afirmou. 

O senador defendeu ainda que seja dado a Cabral todo o direito de defesa e que os fatos sejam investigados com profundidade. "Seria injusto antecipar qualquer julgamento", afirmou o peemedebista. 

Prisão do ex- governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral

Detido na manhã desta quinta-feira (17) em seu apartamento, no bairro do Leblon, na zona sul do Rio, o ex-governador deve ficar preso no complexo penitenciário de Bangu. Segundo procuradores que conduzem as investigações, já no primeiro mês do primeiro mandato o então governador passou a cobrar dinheiro de empreiteiras que realizariam futuramente grandes obras no Estado.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias