Ministério da Cultura

Em carta, Calero diz que sai com 'tranquilidade' e por razões pessoais

Marcelo Calero agradeceu a honra de ser o ministro da Cultura do governo Temer. Ele será substituído pelo deputado Roberto Freire (PPS-SP)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 18/11/2016 às 20:12
FOTO: FÁBIO RODRIGUES POSSEBOM/AGÊNCIA BRASIL
Marcelo Calero agradeceu a honra de ser o ministro da Cultura do governo Temer. Ele será substituído pelo deputado Roberto Freire (PPS-SP) - FOTO: FOTO: FÁBIO RODRIGUES POSSEBOM/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

O agora ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, disse ao presidente Michel Temer em sua carta de demissão que deixa o cargo com "tranquilidade" e por razões pessoais. "Saio do Ministério da Cultura com a tranquilidade de quem fez tudo o que era possível fazer, frente os desafios e limitações com os quais me defrontei. E que o fez de maneira correta e proba", escreveu.

Calero disse ainda que sua demissão se dá "em caráter irrevogável por razão de ordem pessoal". Na noite desta sexta-feira (18) a pasta disse que o ministro havia deixado o cargo por divergências com integrantes do governo. "Durante os últimos seis meses, empreguei o melhor dos meus esforços, apoiado por uma equipe de extrema qualidade para pensar a política cultural brasileira", afirmou Calero, que agradeceu a honra de ser ministro do governo Temer.

Após a demissão de Calero, o presidente Michel Temer convidou o deputado Roberto Freire (PPS-SP) para ocupar o cargo e o parlamentar aceitou o convite. A carta de demissão foi entregue pelo ministro na noite de quinta-feira a Temer no Palácio do Planalto. Na ocasião, o presidente solicitou ao ministro que reconsiderasse a decisão. Mas no fim da tarde desta sexta-feira Calero ligou para Temer para confirmar a decisão de que deixa o governo.

Confira a íntegra da carta: 

"Ao Excelentíssimo Senhor Presidente da República Michel Temer,

Agradeço a honra a mim concedida com o convite para ser Ministro de Estado da Cultura do Brasil de seu governo.

Venho solicitar minha demissão em caráter irrevogável por razão de ordem pessoal.

Durante os últimos seis meses, empreguei o melhor dos meus esforços, apoiado por uma equipe de extrema qualidade para pensar a política cultural brasileira.

Saio do Ministério da Cultura com a tranquilidade de quem fez tudo o que era possível fazer, frente os desafios e limitações com os quais me defrontei. E que o fez de maneira correta e proba. 

Respeitosamente,

Marcelo Calero Faria Garcia"

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias