APOIO AO GOVERNO

Eleitora da cidade de Lula passará a virada do ano na porta de Bolsonaro

A professora pernambucana votou em Bolsonaro, e agora, para comemorar, organiza uma ceia de Ano Novo com outros apoiadores do presidente

Bianca Sousa
Bianca Sousa
Publicado em 31/12/2018 às 15:20
Foto: Felipe Jordão/ JC Imagem
A professora pernambucana votou em Bolsonaro, e agora, para comemorar, organiza uma ceia de Ano Novo com outros apoiadores do presidente - FOTO: Foto: Felipe Jordão/ JC Imagem
Leitura:

É da cidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que veio uma das principais apoiadoras do presidente eleito, Jair Bolsonaro, para acompanhar a cerimônia de posse. A professora Wilma Silvestre saiu de Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, que fica a mais de 2 mil quilômetros de Brasília, para tentar conhecer Bolsonaro pessoalmente. E diz que só deixará a capital federal quando isso ocorrer.

Pelo segundo dia consecutivo, Wilma está com a família na entrada do Granja do Torto, onde deve ficar até de madrugada. Através de um grupo de WhatsApp, ela também organiza uma celebração de Ano Novo no local com outros apoiadores do presidente eleito. Nem todos os 50 participantes do grupo devem vir, pondera Wilma, mas o combinado é que cada um traga um prato de comida para a ceia e que venham vestidos de branco ou de verde e amarelo, cores da bandeira.

"Ano novo na casa do Bolsonaro"

"A gente só sai depois que vir o Bolsonaro. Elegemos o presidente, ele existe, mas ninguém viu ainda", afirmou. "Eu digo que a gente vai passar o Ano Novo na casa do Bolsonaro, que agora é a nossa casa também."

Wilma conta que votou em Lula antes de seu primeiro mandato, em 2002, mas depois se desiludiu e só voltou a votar em algum candidato na eleição deste ano. "Já na segunda (eleição de Lula), não me cabia mais aceitar aquele meio de conduzir as coisas. Fiquei doze anos sem votar. Agora, eu votei e quero ver Bolsonaro subindo a rampa."

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias