REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Reforma não pode ser votada sem acordo que garanta maioria, diz Ramos

Presidente da comissão especial disse também que expectativa e esforço são para que a votação aconteça ainda nesta quarta

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Presidente da comissão especial disse também que expectativa e esforço são para que a votação aconteça ainda nesta quarta - FOTO: Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Leitura:

O presidente da Comissão Especial da Câmara dos Deputados que analisa a reforma da Previdência, Marcelo Ramos (PL-AM), disse que "a expectativa e todo o esforço estão sendo feitos para votar ainda hoje (quarta-feira, 3)" o relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), lido na comissão na terça-feira, 2. Segundo Ramos, o momento é de paciência para a construção de uma maioria que garanta a aprovação tanto na comissão quanto no plenário da Câmara.

"Agora nós temos que ter muita responsabilidade. É um tema muito importante e não podemos correr o risco da matéria vir para a votação sem o acordo necessário para garantir a maioria", disse o deputado em vídeo publicado no Twitter oficial da Câmara dos Deputados. Ramos ainda lembrou da proposta de reforma da Previdência de 1998, quando o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso acabou derrotado no plenário da Câmara por apenas um voto.

"Só 23 anos depois nós estamos voltando a discutir idade mínima, que era o que estava naquela proposta. Obviamente nós não temos mais 23 anos pra frente e precisamos ter muita responsabilidade e muito cuidado com o conteúdo da matéria, por isso exige alguma paciência", falou o deputado. Na verdade, a reforma da Previdência de FHC foi derrotada há 21 anos.

Últimas notícias