Acusou

Bolsonaro afirma que governadores do Nordeste tentam manipular eleitor

Na sexta-feira, durante uma conversa informal com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, Bolsonaro afirmou que daqueles "governadores de 'Paraíba', o pior é o do Maranhão"

AE
AE
Publicado em 20/07/2019 às 17:20
Foto: Diego Nigro/Arcevo JC Imagem
Na sexta-feira, durante uma conversa informal com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, Bolsonaro afirmou que daqueles "governadores de 'Paraíba', o pior é o do Maranhão" - FOTO: Foto: Diego Nigro/Arcevo JC Imagem
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro disse que os governadores do Nordeste têm ideologia e tentam manipular os eleitores da região por meio de desinformação. Na sexta-feira, durante uma conversa informal com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, registrada pela TV Brasil, Bolsonaro afirmou que daqueles "governadores de 'Paraíba', o pior é o do Maranhão"; tem que ter nada com esse cara". Veja vídeo abaixo: 

Ver essa foto no Instagram

Em um vídeo divulgado nas redes sociais nesta sexta-feira (19), o presidente @JairMessiasBolsonaro (PSL) aparece criticando o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e se referindo aos estados da região Nordeste pelo termo 'Paraíba'. O áudio foi capturado por um dos microfones da mesa do café da manhã com jornalistas, em uma conversa informal entre o presidente e o ministro Onyx Lorenzoni. "Dos governadores de 'Paraíba', o pior é o do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara", disparou Bolsonaro. Em sua conta no Twitter, Flávio Dino comentou o episódio. À noite, os governadores do Nordeste divulgaram uma carta de repúdio ao episódio. Recebemos com espanto e profunda indignação a declaração do presidente da República transmitindo orientações de retaliação a governos estaduais, durante encontro com a imprensa internacional. Aguardamos esclarecimentos por parte da presidência da República e reiteramos nossa defesa da Federação e da democracia", diz trecho do documento. . Vídeo: Reprodução . #Bolsonaro #Presidente #Governadores #Nordeste #Maranhão

Uma publicação compartilhada por Jornal do Commercio PE (@jc_pe) em

O uso de um termo pejorativo para se referir aos nordestinos provocou a reação de governadores da região, que manifestaram "espanto e profunda indignação". Bolsonaro disse que foi "uma crítica em três segundos" e que a imprensa "fez uma festa" com a declaração. Questionado sobre se a declaração pode atrapalhar a votação da reforma da Previdência na Câmara, Bolsonaro disse que o Parlamento não "é tão raso" a esse ponto.

"Eles, os governadores, são unidos. Eles têm uma ideologia, perderam as eleições e tentam o tempo todo por meio da desinformação manipular eleitores nordestinos", disse o presidente na entrada do Palácio da Alvorada, na tarde deste sábado (20), quando saía com a filha Laura para uma aula de equitação.

Críticas ao PT e a Lula

Ele atribuiu ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva o que chamou de imagem negativa do Brasil no exterior. "Ele Lula disse claramente que vivia na Europa dizendo que o Brasil tinha 30 milhões de crianças na rua. Fez uma propaganda negativa do Brasil. Por isso que a nossa imagem é tão ruim fora do Brasil".

Ao ser indagado sobre fome no Brasil e os 13 milhões de desempregados, o presidente determinou que jornalistas fizessem as perguntas a Lula. "O Lula falou que acabou com a fome, com a miséria. Tudo está uma maravilha com Lula", ironizou.

No Twitter, Bolsonaro também criticou o PT. "Vou falar do PT sempre. Não adianta chorar. Não é porque perderam a eleição que seus crimes devem ser ignorados. Os efeitos devastadores do desgoverno da quadrilha ainda podem ser sentidos e é papel de todo aquele que ama o Brasil lembrar quem foram os culpados", escreveu o presidente.

Últimas notícias