PROJETO DE LEI

Deputado de Pernambuco quer proibir motéis em áreas urbanas

Segundo o autor do projeto, 'a presença de motéis em áreas residenciais fere os princípios da moral e dos bons costumes'

Marcelo Aprigio
Marcelo Aprigio
Publicado em 10/12/2019 às 10:21
Notícia
Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Segundo o autor do projeto, 'a presença de motéis em áreas residenciais fere os princípios da moral e dos bons costumes' - FOTO: Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Leitura:

Um Projeto de Lei (PL) do deputado federal Pastor Eurico (Patriota-PE) quer proibir a instalação de motéis em áreas urbanas de todo o Brasil. A proposta foi apresentada pelo parlamentar na Câmara dos Deputados, na quinta-feira (5).

Para justificar o PL, Eurico afirma que "a presença de motéis em áreas residenciais fere os princípios da moral e dos bons costumes, que precisam ser urgentemente reforçados no País".

O parlamentar, que é um dos líderes da Frente Parlamentar Evangélica, diz ainda que "a construção de motéis em áreas residenciais desvaloriza os imóveis do entorno, depreciando patrimônios duramente conquistados".

Na mesma linha, na quarta-feira (4), Pastor Eurico apresentou um PL para proibir a instalação e o funcionamento de boates, casas noturnas e correlatas também em áreas urbanas. "Não bastasse a perturbação, a presença desses estabelecimentos, via de regra, funciona como um canal efetivo para o tráfico de drogas e a prostituição, corroborando ainda mais para a decadência moral e espiritual de nossa sociedade", justifica o deputado.

'Escola sem maconha'

Em fevereiro deste ano, o deputado apresentou um projeto que foi batizado por parlamentares de 'Escola Sem Maconha'. Na proposta, Eurico defende que o ensino da conscientização sobre os malefícios da maconha seja componente curricular complementar integrado à proposta pedagógica da escola, sendo de ensino obrigatório a partir do 5º ano do ensino fundamental.

Elogio a regime militar

Na sessão em que discutiu a aceitação da denúncia contra Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o Pastor Eurico, que era suplente na comissão, enalteceu o regime militar. "O governo militar foi a solução para o Brasil".

"O Brasil é um país de sonhos, e eu lembro muito bem, não sou idoso e também não sou tão novo mas na minha juventude - e acredito que de tantos outros aqui - ouvimos os clamores, os gritos, as pessoas gritando por liberdade quando falavam de um governo ditatorial, termo que eu não concordo [...] Ai do Brasil se não fosse os militares na época. Nós hoje seríamos uma Cuba piorada e a situação dos brasileiros seria mais caótica !"

Hostilidade a Xuxa

Em 2014, Pastor Eurico protagonizou um episódio de hostilidade e constrangimento à apresentadora Xuxa Meneghel, que participava de uma sessão da CCJ da Câmara dos Deputados.

O deputado hostilizou a apresentadora e disse que sua presença era "um desrespeito às famílias do Brasil". "A conhecida Rainha dos Baixinhos, que no ano de 82 provocou a maior violência contra as crianças", disse, referindo-se ao filme "Amor Estranho Amor", daquele ano, em que Xuxa aparece numa cena de sexo com um adolescente de 12 anos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias