Tabata Amaral

Deputada Tabata Amaral é criticada por errar concordância em vídeo

Tabata Amaral é alvo de piadas após errar em fala de vídeo que pede pelo impeachment de Weintraub

Ana Gabriela Lima
Ana Gabriela Lima
Publicado em 06/02/2020 às 10:29
Notícia
Jane de Araújo/Agência Senado
Tabata Amaral é alvo de piadas após errar em fala de vídeo que pede pelo impeachment de Weintraub - FOTO: Jane de Araújo/Agência Senado
Leitura:

A deputada Tabata Amaral (sem partido) foi criticada, nesta quinta-feira (6), após errar a concordância em vídeo que fazia no seu celular.

No vídeo em questão, a deputada justificava o pedido de impeachment do Ministro de Educação, Weintraub, após erros na correção de 5.974 provas, de 3,9 milhões de participantes na edição do Enem 2019

>> Ministro da Educação, Abraham Weintraub peca no português e escreve "imprecionante" nas redes sociais

>> Mendonça Filho cotado para substituir Weintraub no Ministério da Educação

Quando argumentava para a saída o ministro da educação, Tabata falou que "a gente está comprometidos com a educação". Isso foi o suficiente para que internautas no Twitter comentassem do erro de concordância da deputada. 

Pedido de impeachment

O abaixo assinado criado para o pedido de impeachment do ministro Abraham Weintraub foi feito por um grupo de parlamentares, entre eles, o deputado federal por Pernambuco, João Campos (PSB). Ele conta com o apoio e assinatura de deputados e senadores de partidos como o PSB, PDT, PCdoB, Rede, Cidadania, MDB, PV, PT, PSDB e Psol. Os parlamentares estão usando as redes sociais para pedir o apoio da população, já que o documento pode ser assinado por qualquer cidadão. 

“Hoje o parlamento apresenta de maneira altiva, mostrando que qualquer divergência partidária está de lado, o que está no centro é a educação brasileira. A ação está bem fundamentada, já imaginávamos ter uma grande aceitação dos parlamentares, devido às graves condutas do ministro e ações que violam os princípio de eficiência”, afirmou o deputado João Campos, que é vice-coordenador da Comissão Externa de Acompanhamento do Ministério da Educação (MEC).

Veja quem são os parlamentares que assinam o pedido:

Deputados:
Felipe Rigoni (PSB)
Tabata Amaral (PDT)
João Campos (PSB)
Raul Henry (MDB)
Reginaldo Lopes (PT)
Professor Israel (PV)
Alexandre Frota (PSDB)
Aliel Machado (PSB)
Rodrigo Agostinho (PSB)
Marcelo Calero (Cidadania)
Maria do Rosario (PT)
Perpétua Almeida (PCdoB)
Margarida Salomão (PT)
Danilo Cabral (PSB)
Rafael Motta (PSB)
Joênia Wapichana (REDE)
Fabiano Tolentino (Cidadania)

Senadores:
Alessandro Vieira (Cidadania)
Fabiano Contarato (Rede)

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias