Eleições

João da Costa prevê que Humberto terá ''a maior derrota política do Brasil''

Em eventual segundo turno, atual prefeito do Recife declara que não fará campanha para Humberto Costa (PT)

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 02/10/2012 às 11:55
Foto: Clemilson Campos / JC Imagem
Em eventual segundo turno, atual prefeito do Recife declara que não fará campanha para Humberto Costa (PT) - FOTO: Foto: Clemilson Campos / JC Imagem
Leitura:

Na reta final das eleições municipais, o atual prefeito do Recife, João da Costa, colocou mais pimenta na disputa ao cargo de prefeito da capital pernambucana. Em entrevista coletiva convocada para esta terça-feira (2), o atual mandatário da cidade não poupou críticas ao companheiro de partido, o senador Humberto Costa, que disputa uma vaga ao cargo municipal. Bastante chateado com as críticas que vem sofrendo de Humberto quanto a sua gestão, sobretudo no guia eleitoral, João da Costa previu que o senador terá "a maior derrota política do Brasil". Para ele, para reverter o quadro, Humberto precisa mudar a estratégia de campanha, mesmo faltando menos de uma semana para o pleito.

"Essa será a única maneira de Humberto conseguir chegar ao segundo turno das eleições e continuar na disputa pela Prefeitura do Recife. Estão tentando me jogar fora como se eu não tivesse valor, como se eu fosse um tostão furado”, explicou João da Costa.

Para aumentar ainda mais a polêmica, João da Costa confirmou que, se o segundo turno for entre Geraldo Julio (PSB) e Daniel Coelho (PSDB), vai para as ruas fazer campanha para o socialista, que é apoiado pelo governador Eduardo Campos, mesmo o PT pedindo para que ele não faça.

Mas o cenário muda se Humberto for para o segundo turno com Geraldo. "Por causa de todo o processo político que sofri nas prévias, não tenho condições de fazer campanha para o partido", disse. Se Humberto for ao segundo turno, João da Costa afirmou que votará no candidato, mas ao mesmo tempo afirmou que ainda não está totalmente convecido por ele, por causa das acusações, e que não fará campanha para o companheiro de partido. "Votarei em Humberto porque ele é do meu partido, mas não vou pedir apoio para nenhum dos dois no segundo turno", projeta.

João da Costa disse que não queria realizar a coletiva, mas, diante das acusações ao seu governo pelo guia eleitoral de Humberto Costa, de que o prefeito estaria parando atividades na Prefeitura para prejudicar a campanha do senador, João afirmou que era preciso esclarecer sua posição e as atividades que vem exercendo nos seus últimos meses de mandato.

"A estratégia dessa campanha de criticar minha gestão está equivocada e está se refletindo nas pesquisas. O partido precisa rever até domingo o que está fazendo para conseguir ir ao segundo turno."

Ao longo das declarações, o prefeito disse não se sentir um traidor político, e afirma que sofre bullying do partido. "Quem rompeu comigo até hoje não me deu argumentos. Há gente dizendo que minha carreira política irá acabar com o fim do meu mandato", afirmou.

João da Costa aproveitou para lembrar as obras que está fazendo na reta final do mandato e que a campanha de Humberto não está mostrando.  "No guia eleitoral é uma grande novidade marcar consulta pela internet. Mas isso já acontece no Recife, na Policlínica de Água Fria", citou o prefeito, entre outras atividades e inaugurações que afirmou estar realizando.

Últimas notícias