LEGISLATIVO

Caruaru: o temor da Ponto Final 3

Advogados dos dez vereadores acusados entram com pedido de habeas corpus preventivo, a fim de evitar novas prisões com possibilidade de nova operação policial

Pedro Romero
Pedro Romero
Publicado em 25/02/2014 às 7:48
Wagner Gil/Especial para o JC
Advogados dos dez vereadores acusados entram com pedido de habeas corpus preventivo, a fim de evitar novas prisões com possibilidade de nova operação policial - FOTO: Wagner Gil/Especial para o JC
Leitura:

CARUARU – Os advogados dos dez vereadores caruaruenses acusados de corrupção, concussão e de integrar organização criminosa entraram com pedido de habeas corpus preventivo para tentar evitar que eles sejam presos novamente. A iniciativa da defesa foi tomada porque há informações de que a Polícia Civil pode desencadear a Operação Ponto Final 3.

Segundo um dos advogados dos parlamentares investigados nas operações Ponto Final 1 e 2, Saulo Amazonas, o pedido de habeas corpus preventivo foi protocolado no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) na semana passada. “O objetivo é evitar novas prisões sejam determinadas em relação ao mesmo fato”, explicou. Um dos vereadores acusados, Evandro Silva (PMDB), por exemplo, já foi preso três vezes desde que a Operação Ponto Final 1 foi desencadeada, em 18 de dezembro passado.

Nos bastidores, circulam informações de que uma nova operação da Polícia Civil será desencadeada. Desta vez, envolvendo denúncias de que empresários do setor de transportes da cidade teriam subornado vereadores para impedir a aprovação de um projeto de lei que prevê licitação pública para prestação de serviço de transporte de ônibus em Caruaru.

No dia 31 de janeiro, o JC publicou matéria em que levantava a possibilidade de uma nova ação da polícia para investigar o caso. 

Últimas notícias