segurança

Após reunião com a SDS, Elias Gomes sai sem resposta sobre câmeras de segurança

Prefeito garantiu ações em outras áreas, como investigação de homicídios e outra na Muribeca, além da instalação de Companhia da Polícia Militar

Mariana Araújo
Mariana Araújo
Publicado em 12/02/2015 às 6:21
Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem
Prefeito garantiu ações em outras áreas, como investigação de homicídios e outra na Muribeca, além da instalação de Companhia da Polícia Militar - FOTO: Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem
Leitura:

Depois de criticar a posição do governo do Estado com relação à segurança em Jaboatão, afirmando que o Estado foi negligente no atendimento ao município, o prefeito Elias Gomes reuniu-se, na tarde de ontem, com o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho. A principal queixa do prefeito, a instalação de câmeras de segurança na cidade, não foi definida. A SDS iniciou, ainda no ano passado, um estudo para rever o posicionamento das câmeras de seguranças. Hoje, são 645 câmeras operadas pela secretaria.

No entanto, não há prazo nem número previsto de câmeras que podem ser desviadas. “Depois do estudo, vamos ver o mapa da criminalidade de ver os locais onde poderão ser deslocadas”, afirmou o chefe de gabinete da SDS, Cláudio Borba. A prefeitura enviou junto com o carnê do IPTU, um boleto no valor R$ 10 de pagamento voluntário para o Fundo Municipal de Segurança. Uma das destinações do dinheiro arrecadado seria a compra de câmeras.

Em janeiro, a SDS destinou cinco delegados para trabalhar com investigação de homicídios na cidade, através do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). A delegacia funciona desde janeiro no antigo prédio do Ministério Público, em Prazeres. Também ficou acertada a inauguração da delegacia da Muribeca para março. E a prefeitura irá ceder um prédio em Jaboatão Centro para a instalação da Companhia de Polícia Militar.

“Não quis colocar uma posição de criticismo, mas sim de cobrança pública. Considero que a conversa foi promissora. São medidas iniciais e outras virão”, declarou Elias Gomes.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias