INDICAÇÃO

Aliados de Daniel Coelho no governo estadual

Ex-chefe de gabinete do deputado foi nomeado na administração de Paulo Câmara na semana passada

Jumariana Oliveira
Jumariana Oliveira
Publicado em 15/02/2015 às 9:00
JC imagens
Ex-chefe de gabinete do deputado foi nomeado na administração de Paulo Câmara na semana passada - FOTO: JC imagens
Leitura:

Crítico das gestões do PSB, o deputado federal Daniel Coelho (PSDB) deverá enfrentar questionamentos internos sobre a nomeação, no governo estadual, de pessoas que eram ligadas ao seu grupo político. O ex-chefe de gabinete do parlamentar, Filipe Moura Wanderley, foi nomeado como gerente administrativo da Junta Comercial de Pernambuco, que está sobre a direção da ex-deputada Terezinha Nunes (PSDB). Filipe exercia o cargo de confiança no gabinete de Daniel desde a época em que o deputado era filiado ao PV. 

Assim que assumiu o mandato de deputado estadual, em fevereiro de 2011, Daniel nomeou Filipe para sua chefia de gabinete. Além de Filipe, outros ex-funcionários de Daniel Coelho estão fazendo parte da gestão estadual. No ano passado, o JC publicou a nomeação de João Freire como secretário-executivo de Fomento ao Empreendedorismo na pasta do Trabalho quando o PSDB entrou no governo, em janeiro de 2014. João foi coordenador da campanha de Daniel à Prefeitura do Recife em 2012. 

Além desses nomes, outros dois comissionados do governo estadual também saíram do gabinete de Daniel Coelho. Roberval Moraes e Fábio José Araújo foram novamente nomeados para a gestão socialista. Ambos atuavam na função de secretário parlamentar no gabinete de Daniel Coelho desde 2011 e agora estão na Secretaria do Trabalho, que está sob comando de Evandro Avelar (PSDB). Roberval, Fábio e Filipe foram nomeados no dia 07 de fevereiro de 2011, época em que Daniel estava no PV. O parlamentar só ingressou no PSDB em setembro daquele ano. 

A ligação entre os ex-funcionários e o tucano pode ser utilizada como argumento contra Daniel, caso o partido deseje apoiar a candidatura do PSB no próximo ano. Daniel é o nome mais forte e não esconde o desejo de disputar, mas alguns membros do partido podem optar pela aliança com o prefeito Geraldo Julio. 

Daniel nega a indicação do seu ex-chefe de gabinete. “Terezinha (Nunes) o convidou e ele aceitou porque estava um pouco cansado na atividade. Ele já conhecia Terezinha e decidiu aceitar o convite”, disse o deputado. Ele contou que não chegou a convidar Filipe para assumir a chefia do gabinete em Brasília. 

Terezinha Nunes disse que a indicação foi dela porque Filipe a ajudou na campanha estadual. “Ele já tinha participado das campanhas. Foi uma pessoa que me ajudou muito”, afirmou. Evandro Avelar também negou a intervenção de Daniel na nomeação de Roberval e Fábio José na pasta do Trabalho. Ele disse que os nomes foram indicados no ano passado, pelo então presidente do partido Sérgio Guerra. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias