Recursos hídricos

Paulo Câmara debaterá estiagem com Dilma e cancela encontro com FHC

A seca no Nordeste é um dos assuntos que serão tratados pelo governador com a presidente

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 24/03/2015 às 15:37
Roberto Pereira/Divulgação Governo do Estado
A seca no Nordeste é um dos assuntos que serão tratados pelo governador com a presidente - FOTO: Roberto Pereira/Divulgação Governo do Estado
Leitura:

O governador Paulo Câmara (PSB) deixa o Estado na noite desta terça-feira rumo a Brasília. Na capital federal, o socialista se reunirá com a presidente Dilma Rousseff (PT) e com os demais governadores nordestinos à tarde. Antes, os gestores da região se encontram para alinhar o conjunto de demandas apresentado à presidente. Em destaque, estará a estiagem que atinge a região e os itens debatidos durante o Fórum dos Governadores realizados na Paraíba em dezembro de 2014.

"Vamos trabalhar em cima da pauta que foi apresentada, mas vamos nos reunir amanhã de manhã em Brasília pra gente tirar alguns indicativos e levar à presidente questões que sejam consensuais entre todos os Estados e que sejam viáveis de serem implementadas em 2015. Houve um certo agravamento em relação à situação (de estiagem) que precisa ser melhor colocado", adiantou Paulo Câmara.

Paulo Câmara afirmou que o governo estadual ainda não tem resposta sobre as demandas que o presidente da Compesa, Roberto Tavares, levou ao Ministério da Integração Nacional em fevereiro. "Roberto Tavares teve a reunião, fiz um ofício ao Ministério, mas não tivemos retorno. Vou procurar em Brasília ver se teve algum avanço. É uma pauta importante porque faz obras e ao mesmo tempo antecipa alguns investimentos necessários nessa questão dos recursos hídricos", declarou.

De Brasília, o governador iria para São Paulo se encontrar com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na quinta-feira. No entanto, a audiência foi desmarcarcada. "Tive que cancelar. Havia indicativo da gente conversar na quinta-feira, até porque tinha agenda em São Paulo. Preferi adiar para depois da Semana Santa. Vou a Brasília amanhã e normalmente há alguns tipos de desdobramentos e talvez eu precise ficar mais um pouco. Para não desmarcar em cima da, preferi me antecipar, desmarcar e a gente vai marcar outra data", explicou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias