itaipava

Homenagens a Eduardo Campos na inauguração da Itaipava

Filhos do ex-governador estiveram presente na solenidade e foram acompanhados pelo presidente do Grupo Petrópolis, Walter Faria

Mariana Araújo
Mariana Araújo
Publicado em 17/04/2015 às 21:56
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Filhos do ex-governador estiveram presente na solenidade e foram acompanhados pelo presidente do Grupo Petrópolis, Walter Faria - FOTO: Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

As homenagens e lembranças ao ex-governador Eduardo Campos dominaram os discursos na inauguração da fábrica da Itaipava, na tarde desta sexta-feira (17). O presidente do Grupo Petrópolis, ao qual a cervejaria pertence, Walter Faria, foi o primeiro a lembrar o socialista, morto em um acidente aéreo em agosto do ano passado.

Faria começou a solenidade subindo ao palco, em um ato fora do que estava previsto, com os filhos do ex-governador João e Eduarda Campos. “Essa fábrica existe por causa de seu pai”, disse aos jovens. “Fiz questão de entrar abraços com esses dois”, justificou à plateia.

O empresário lembrou que, em 2 de abril do ano passado, Eduardo, nos últimos dias de mandato antes de se descompatibilizar do cargo para concorrer à presidência, esteve na fábrica para o primeiro envasamento. “Tomamos nossa primeira cerveja”, lembrou. 

“Quero lembrar de momentos felizes, de bate-papo de ouvido. Tudo que ele tratou comigo, foi cumprido”, acrescentou. “É uma família que eu amo, que o Lula ama e que todos devem amar”, acrescentou. Ainda como parte da homenagem, o telão exibiu fotos da visita do ex-governador.

O empresário também lembrou que Eduardo o apresentou a Paulo Câmara. “Esse vai ser o governador”, disse Faria, referindo-se à conversa que teve com Eduardo. 

João Campos falou em nome da família. Lembrou que também estava na visita de abril do ano passado. “Me recordo do dia 2 de abril do ano passado, quando tive a oportunidade de deixar a universidade para passar um dia inteiro ao lado do meu pai”, disse. O dia foi de visitas às fábricas da Jeep, Vivix e Itaipava. “Ali eu tinha a consciência de que estava participando da história do nosso Estado”, declarou o jovem.

O filho do ex-governador aproveitou a  oportunidade para, mesmo diante do ex-presidente Lula,  criticar a crise econômica do País. “O Brasil vive hoje um período de desindustrialização e desvalorização da indústria. E vemos um estado nordestino se fortalecendo e crescendo, respeitado e incentivada pelo governo do Estado”, completou. “Meu pai dizia que não  adianta ser do partido do presidente, ser amigo do presidente e não ter o time competente para ir a Brasília busca recursos”, declarou, referindo-se a parcerias firmadas com o ex-presidente Lula. 

O ex-presidente petista também lembrou das parcerias firmadas com o socialista. “Eu e Eduardo sonhamos juntos”, afirmou.

Últimas notícias