advocacia

Grupo de situação da OAB-PE fala em adiar anúncio de candidato à presidência

O desembargador eleitoral Ronnie Duarte é tido como favorito na disputa, mas seu nome tem encontrado resistências internas

Ulysses Gadêlha
Ulysses Gadêlha
Publicado em 11/06/2015 às 17:26
Foto: Edmar Melo/JC Imagem
O desembargador eleitoral Ronnie Duarte é tido como favorito na disputa, mas seu nome tem encontrado resistências internas - FOTO: Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Leitura:

O candidato oficial da situação para a presidência da OAB-PE seria apresentado nesta próxima sexta-feira (12), mas o presidente Pedro Henrique Reynaldo já fala em adiar o anúncio, já que o grupo não chegou ao consenso. O ato ocorrerá no Colégio de Presidentes da entidade, em Petrolina, no Sertão do São Francisco. O desembargador eleitoral Ronnie Duarte é tido como favorito na disputa, mas seu nome tem encontrado resistências internas.

Até então, além de Ronnie Duarte, o advogado Bruno Baptista e o conselheiro federal Leonardo Accioly eram cotados para a disputa, mas Accioly abriu mão de sua pré-candidatura para apoiar o nome de Ronnie. Segundo o presidente da OAB-PE, o conselheiro havia entendido que não era a hora de se candidatar, que não estava pronto para esse triênio. 

Há uma semana, quando foi marcada essa reunião de sexta-feira, o atual presidente foi ouvido e encarou com naturalidade a turbulência ocorrida para a escolha do nome. "Estamos em discussões internas, talvez não se conclua amanhã. A gente queria ter evoluído nesse assunto, mas com a retirada de Leonardo, mudou a equação de apoios internos, então provavelmente, o anúncio só sai na semana que vem", afirmou Pedro Henrique Reynaldo.

Na visão de Pedro Henrique Reynaldo, o grupo de situação terá o respaldo da classe para se manter à frente da OAB-PE. Ele diz que recebeu pesquisas internas expressando essa aprovação da categoria, inclusive apontando índices de confiança na figura do atual presidente. "O nosso grupo continua correspondendo aos anseios da classe, porque realizamos mais que prometemos. Nós temos, inclusive, uma plataforma eleitoral pra prestar contas. Acredito que não teremos dificuldades, mas a gente não pode subestimar a oposição, que certamente vai ter aderência de parte da categoria", comenta o presidente.

Na oposição, um grupo da área do Direito Trabalhista intitulado "A Ordem é para Todos" está sendo capitaneado pelo advogado Jefferson Calaça. Pedro Henrique comenta que tem visto a movimentação desse grupo nas redes sociais, mas que não acredita numa reviravolta. "Certamente vão ter aderência de parte da classe, por não estar satisfeita com as condições da advocacia. Nós vamos tratar de eleição no momento certo. Daqui pra o final de agosto, devemos estar deliberando sobre chapa. Campanha mesmo só deve estar iniciando pro final de agosto e início de setembro", definiu.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias