brasília

Maioria dos deputados pernambucanos vota pela vinculação do salário mínimo com a Previdência

Dos 12 parlamentares do Estado que votaram, nove oposicionistas disseram sim, contra três governistas que defenderam a posição da presidente Dilma

Ulysses Gadêlha
Ulysses Gadêlha
Publicado em 25/06/2015 às 19:16
Foto: Divulgação
Dos 12 parlamentares do Estado que votaram, nove oposicionistas disseram sim, contra três governistas que defenderam a posição da presidente Dilma - FOTO: Foto: Divulgação
Leitura:

A maioria dos deputados pernambucanos que participou da votação da Medida Provisória 672, na última quarta-feira (24) decidiu pela aprovação da emenda que vincula os benefícios da Previdência Social à política de valorização do salário mínimo. A orientação dada à base governista foi no sentido de barrar a emenda, mas o texto passou por 206 votos favoráveis a 179 contrários. Ao todo, 12 parlamentares do Estado votaram, dos quais nove, todos oposicionistas, disseram sim. Mesmo em conflito com o Palácio do Planalto, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), considerou um erro aprovar a vinculação da aposentadoria com o reajuste do mínimo.

Os deputados do PSDB e do PSB de Pernambuco que participaram da votação, decidiram pela aprovação. De uma maneira geral, eles defendem que a valorização deve ser estendida à toda população, principalmente no atual momento de crise. Essa também é a posição defendida pelo deputado Mendonça Filho (DEM). A emenda que trata da vinculação foi fruto da fusão de uma matéria de sua autoria com a de outros deputados. “Corrigir as aposentadorias é o mínimo que o governo do PT pode fazer por quem já trabalhou muito. Aposentados que há 15, 20 anos se aposentavam recebendo 10 salários mínimos, recebem hoje apenas três. Reajuste já!”, disse o parlamentar, em sua conta no Twitter, durante o momento da votação.

O discurso da oposição é que o reajuste pelo índice da inflação não garante ganho real para a população. “O trabalhador terá apenas o índice de inflação, não terá o ganho real porque a economia cresce negativamente”, afirmou Betinho Gomes (PSDB). A informação trazida pelo presidente Eduardo Cunha, no entanto, é de que o impacto financeiro trazido por essa emenda chega à casa dos R$ 9 bilhões. Para ele, aprovar essa medida é um erro que precisa ser corrigido, pois assim a União pode passar uma imagem de descontrole fiscal para o mercado.

Vice-líder do governo na Câmara, o deputado Silvio Costa (PSC) não participou da votação, mas votaria com o governo. Ele disse que “essa emenda é a maior prova de irresponsabilidade pública da oposição e de uma parte da base governista”. “A oposição trabalha pra inviabilizar o País. E a parte do governo que ajudou faz parte da política fisiológica. Eles pensam assim: ‘como o governo ainda não nos atendeu, eu vou mandar um recado para o governo’. Eles não pensam no País”, declarou.

Voto dos deputados pernambucanos na emenda que vincula os benefícios da Previdência Social à política de valorização do salário mínimo:

SIM

Mendonça Filho (DEM)
Jarbas Vasconcelos (PMDB)
Gonzaga Patriota (PSB)
Marinaldo Rosendo (PSB)
Tadeu Alencar (PSB)
Betinho Gomes (PSDB)
Bruno Araújo (PSDB)
Daniel Coelho (PSDB)
Augusto Coutinho (SD)

NÃO

Carlos Eduardo Cadoca (PCdoB)
Luciana Santos (PCdoB)
Eduardo da Fonte (PP)

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias