lava jato

Pedro Corrêa pode fazer delação premiada

Primo do ex-deputado, o advogado Clóvis Corrêa, disse que homolagação sairá em breve

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 11/01/2016 às 17:02
Foto: Chico Porto/Acervo JC Imagem
Primo do ex-deputado, o advogado Clóvis Corrêa, disse que homolagação sairá em breve - FOTO: Foto: Chico Porto/Acervo JC Imagem
Leitura:

O ex-deputado federal Pedro Corrêa, preso pela Operação Lava Jato e por envolvimento no Mensalão, estaria perto de fechar o acordo de delação premiada, informou na manhã desta segunda (11), o seu primo, o advogado Clóvis Corrêa. Segundo Clóvis, o ex-parlamentar estaria apenas aguardando a homologação da delação para falar o que sabe sobre o esquema de corrupção na Petrobras. A delação entregaria à investigação cerca de 100 nomes. 

No entanto, o advogado de Pedro Corrêa, Alexandre Loper, não confirmou a investigação. “Não há nem conversas”, disse Loper em mensagem telefônica com a reportagem do JC.

Clóvis esteve com Pedro, na carceragem da Polícia Federal no Paraná, no dia 29 de dezembro. “Ele disse que estava arrependido de não ter feito delação premiada”, disse Clóvis sobre a conversa que teve com o primo, em entrevista à Rádio Jornal. 

“Eu disse a ele: Pedro, não fale somente sobre o governo de Lula, fale sobre todos os governos em que foi quase 10 mandatos de deputado. Ele conhece tudo como funcionou no governo de Sarney, a distribuição de rádios para o aumento do mandato de Sarney, a de Fernando Henrique, como foi o processo para permitir a recondução de Fernando Henrique. Ele pode fazer um panorama geral sobre a política brasileira para não dar uma coisa incisiva somente sobre Lula, mas para mostrar como é que funciona a política”, acrescentou.

Mesmo com a negativa do advogado Loper, Clóvis afirma que a delação está perto de sair. “Os termos do acordo de Pedro estão prontos, só falta ser homologado. Tem os procuradores do Paraná e os procuradores do Ministério Público em Brasília. Isso precisa ser homologado. Tem muita gente querendo falar. São várias audiências, vários interrogatórios. Estamos esperando para muito breve”, disse.

Além de Pedro Corrêa, Clóvis Corrêa afirma que também conversou com o doleiro Alberto Youssef e com o empresário e pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula, que dividem a cela da PF com Pedro. “O Bumlai me disse que vai destruir o Lula. Eu disse: ‘Você vai fazer alguma delação sobre o Lula?’ Ele disse: ‘Não, quem vai destruir ele é o filho dele.’ E para o Youssef, eu disse ‘Mas Youssef, como é que você conseguiu movimentar tudo isso, esse esquema todo?’ ‘Doutor, eu trabalhava com 30 celulares para atender diversos grupos que tinham’”, completou o advogado.

Últimas notícias