governo

Socialistas defendem candidatura de João Campos em 2018

Cargo no governo de Paulo Câmara serviria de trampolim para chegar a deputado federal

Paulo Veras
Paulo Veras
Publicado em 19/02/2016 às 9:44
Foto: André Nery/JC Imagem
Cargo no governo de Paulo Câmara serviria de trampolim para chegar a deputado federal - FOTO: Foto: André Nery/JC Imagem
Leitura:

Apontado como principal herdeiro político da família, João Campos negou nessa quinta (18) o interesse em disputar eleições no futuro, mas os dirigentes do PSB fazem questão de estimulá-lo a ser candidato. O projeto seria uma dandidatura a deputado federal em 2018. “2018 deve ser pensado em 2018”, afirmou o novo chefe de gabinete do governador. “João sabe muito bem que temos um trabalho a fazer. Ele não é candidato em 2016 e 2018 só vamos discutir em 2018. Até lá tem que trabalhar muito, mostrar serviço, crescer na vida pública”, disse Paulo Câmara.

Depois de cancelar um compromisso em Belo Horizonte para prestigiar a cerimônia de ontem, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, disse que não apenas acha que João pode ser candidato no futuro, como tem estimulado o jovem a abraçar o projeto.

“Ele será o representante da família Campos no mundo da política pernambucana e oxalá nacional. Acho que é muito importante ter pessoas politizadas no nosso partido, que possam dar continuidade a uma tradição que dá muita honra a nós pernambucanos de ter nessa família sempre representantes que elevaram o nome do nosso Estado”, afirmou Siqueira.

Para Sileno Guedes, presidente do PSB-PE, a eventual candidatura de João Campos é um caminho natural na trajetória dele. “Nós todos do PSB torcemos pela renovação da política, por uma nova política com quadros novos. E João representa também isso”.

“Se João topar fazer esse caminho, se esse for o destino que ele está esperando traçar para a vida dele, a gente do PSB vai dar todo o apoio”, sinalizou Sileno. “Tem muita gente que hoje está com mandato e começou dessa forma. A presença no serviço público proporciona, sim (que ele ingresse na política). Isso não é ilegal, não é imoral. Isso, na verdade, faz parte da atividade política”, defendeu.

Como o prazo para se desincompatibilizar a tempo de disputar a eleição deste ano se encerra em abril, a aposta dos socialistas é realmente que João seja candidato a uma vaga de deputado federal em 2018. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias