impeachment

Ato contra o impeachment na Faculdade de Direito do Recife

Pelo menos 200 pessoas se reuniram nas escadarias da FDR

Paulo Veras
Paulo Veras
Publicado em 21/03/2016 às 22:00
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Pelo menos 200 pessoas se reuniram nas escadarias da FDR - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Pelo menos 200 pessoas se reuniram na noite desta segunda-feira (21) nas escadarias da Faculdade de Direito do Recife (FDR) em um ato contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). A ideia era rebater a ideia de que existe base jurídica para uma deposição da petista. Durante a manifestação, o processo que corre no Congresso foi classificado como um "golpe" e várias críticas foram feitas ao juiz federal Sérgio Moro, que está à frente das investigações da Operação Lava Jato.

"Hoje, infelizmente, o salvador da pátria é um magistrado, é um colega, que fere frontalmente as garantias constitucionais. E isso é visto como normalidade porque o que mais importa é colocar os 'canalhas' na cadeia", criticou o juiz do Trabalho, André Luiz Machado.

Para o professor Francisco Queiroz, diretor da FDR, o saneamento da classe política não pode servir de pretesto para se desestabilizar as instituições. "Ao invés de forças militares, artifícios jurídicos são usados para dar uma ideia de legalidade", reclamou.

O posicionamento da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) contra o governo também foi vaiado sob gritos de "vergonha".

Políticos como o deputado estadual Edilson Silva (PSOL) e as vereadores Marília Arraes (PT) e Isabella de Roldão (PDT) também estiveram no evento.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias