Avaliação

Dilma Rousseff afirma que trata o processo de impeachment como uma questão política

Segundo a petista, não há base para as acusações contra ela

Edson Mota
Edson Mota
Publicado em 22/07/2016 às 9:42
Foto: Acervo JC Imagem
Segundo a petista, não há base para as acusações contra ela - FOTO: Foto: Acervo JC Imagem
Leitura:

A presidente afastada Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira (22), em entrevista à Rádio Jornal, que trata o processo de impeachment como uma questão política contra ela. "O processo contra mim é um não crime, ou seja, não há base. Nós sabemos, principlamente através da sindicância do Senado, que, da minha parte, não há dolo", garantiu.

Dilma disse ainda que segue confiante em uma vitória na votação do Senado, que deve ocorrer no fim de agosto. "Todo o processo só se completa se dois terços dos senadores optem pelo afastamento. Trata-se, portanto, de cinco a sete senadores para garantir isso. Até lá, continuarei lutando", assegurou.

"Não há crime. Temos uma ruptura no processo constitucional e por isso o chamamos de golpe", continou a presidente afastada. Durante a entrevista, Dilma afirmou que segue conversando com os senadores para tentar barrar a continuidade do processo. "Estou lutando para permanecer na Presidência da República. Fui eleita por mais de 54 milhões de votos e é praxe que isso seja respeitado", disse.

"A minha postura de lutar para voltar não se trata apenas do meu mandato, mas da defesa da democracia no Brasil. Não pretendo discutir o que pode acontecer de maneira alguma", disse.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias