Transporte público

Paulo Câmara diz que tarifa única a R$ 2,15 foi exemplo de campanha

Governador afirmou que vai trabalhar para implantar tarifa única, mas complementou que falta dinheiro para o subsídio

Da editoria de Política
Da editoria de Política
Publicado em 19/01/2017 às 18:37
Aluisio Moreira/SEI
Governador afirmou que vai trabalhar para implantar tarifa única, mas complementou que falta dinheiro para o subsídio - FOTO: Aluisio Moreira/SEI
Leitura:

O governador Paulo Câmara (PSB) não deu garantias de que Pernambuco possa vir a ter a tarifa única no valor de R$ 2,15 como prometeu na campanha eleitoral de 2014. O compromisso feito há cerca de pouco mais de dois anos foi resgatado nas redes sociais recentemente após o reajuste nas passagens de ônibus da Região Metropolitana do Recife

"A gente tem o compromisso de fazer o bilhete único do Anel A. R$ 2,15 era o exemplo na época da campanha em que todas as passagens seriam unificadas pelos R$ 2,15. A gente vai continuar essa busca", disse, após empossar o vice-governador Raul Henry (PMDB) como secretário de Desenvolvimento Econômico.

De acordo com Paulo Câmara, apesar do reajuste recente, o governo estadual trabalhou para aliviar o bolso dos usuários do transporte público de passageiros.

"A diferença entre os anéis já foi maior. Em breve, com a situação econômica melhorando, a gente espera subsidiar mais o transporte público. Hoje, infelizmente não está sobrando dinheiro para o subsídio. O que a gente está buscando é garantir as conquistas, como o passe livre. É um esforço que a gente faz todo ano para que os estudantes da rede pública tenham acesso aos ônibus sem pagar as tarifas. E vamos buscar que até o final de 2018 a gente tenha condições de implantar o bilhete único, com tarifa única", declarou. 

Desde que assumiu o governo estadual, Paulo Câmara foi alvo de críticas pelo aumento das passagens de ônibus. Em 2015, a tarifa A passou de R$ 2,15 para R$ 2,45. Em 2016, foi reajustada para R$ 2,80. Este ano, um novo reajuste, para R$ 3,20. 

>> Aumento na tarifa de ônibus: um erro eternizado pelas redes sociais

No ano passado, o então secretário das Cidades, André de Paula, que hoje cumpre mandato de deputado federal pelo PSD, chegou a descartar a tarifa única a R$ 2,15 e explicou que a proposta de Paulo Câmara era de acordo com a tarifa A em vigência.

 

>> Com 14% de reajuste, passagem de ônibus aumenta para R$ 3,20 no Grande Recife

Agora, o órgão responsável por gerir o transporte público na Região Metropolitana não foi tão incisivo quanto a declaração de André de Paula, mas também não assegura o cumprimento da promessa.

A PROMESSA

Ao se verificar o discurso de Paulo Câmara e o texto utilizado na propaganda eleitoral gratuita, a referência à tarifa única é no valor de R$ 2,15 e não se fala em um valor genérico. 

"Hoje, no transporte coletivo da Região Metropolitana tem uma passagem a R$ 3,30 e outra a R$ 2,15. Vamos fazer com que toda passagem seja R$ 2,15", discursou Paulo em um ato de campanha no Córrego do Jenipapo (veja vídeo acima).

A reportagem do Jornal do Commercio questionou a assessoria do Grande Recife Consórcio de Transporte sobre a viabilidade de implantar a tarifa única até 2018. O órgãos estadual informou que a medida já está sendo executada de acordo com a nota a seguir.

A integração temporal já é aplicada na Região Metropolitana do Recife, onde 64 linhas funcionam nesse sistema, das quais sete fazem integração às estações de metrô. Dessa maneira, o usuário pode pegar duas linhas pagando apenas uma única tarifa ou fazendo a complementação, caso elas sejam de valores distintos. O VEM deve ser utilizado no segundo ônibus em até duas horas após ter sido usado no primeiro. A ampliação da integração temporal deve passar por estudos, que ainda não estão finalizados.

Últimas notícias