Fiscalização

TCE alerta a Prefeitura do Recife sobre atraso nas obras do Geraldão

Alerta de Responsabilização foi assinado pela conselheira Teresa Duere

Da Editoria de Política
Da Editoria de Política
Publicado em 13/11/2017 às 14:50
Matheus Cunha/JC
FOTO: Matheus Cunha/JC
Leitura:

Atualizada às 17h44

Apenas um dia após o aniversário de 47 anos do Ginásio de Esportes Geraldo Magalhães, o Geraldão, localizado no bairro da Imbiribeira, na Zona Sul do Recife, o Tribunal de Contas de Pernambuco divulgou um alerta feito ao prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), sobre os prejuízos causados pelo atraso nas obras de reforma e ampliação do equipamento. O Alerta de Responsabilização foi assinado no último dia 10 pela conselheira Teresa Duere, que deu um prazo de 15 dias para que o gestor informe quais as medidas que serão tomadas pelo Executivo municipal para solucionar as irregularidades.

Uma auditoria especial do TCE acompanha as obras no Geraldão desde maio de 2015. De lá para cá, oito visitas técnicas foram feitas ao local para conferir o andamento dos trabalhos, e foi aí que o não cumprimento do cronograma do projeto foi identificado. A última vistoria, feita em agosto de 2017, constatou que apenas 45% dos serviços estavam prontos, mesmo passados quatro anos desde o começo do contrato.

Matheus Cunha/JC
Placa fincada na entrada do Geraldão aponta o fim das obras para dezembro de 2015 - Matheus Cunha/JC
Matheus Cunha/JC
Fechada do ginásio dá a entender que o local tem obras avançadas, mas apenas nessa parte - Matheus Cunha/JC
Matheus Cunha/JC
Fechada do ginásio dá a entender que o local tem obras avançadas, mas apenas nessa parte - Matheus Cunha/JC
Matheus Cunha/JC
Fechada do ginásio dá a entender que o local tem obras avançadas, mas apenas nessa parte - Matheus Cunha/JC
Matheus Cunha/JC
Na parte de trás há muito entulho e lixo, indicando que ainda falta muito para a obra acabar - Matheus Cunha/JC
Matheus Cunha/JC
O mato toma conta da parte de trás do Geraldão - Matheus Cunha/JC
Matheus Cunha/JC
Geraldão está cercado por tapumes e placas de zinco - Matheus Cunha/JC
Matheus Cunha/JC
Cobertura já está finalizada, mas as rampas de acesso ainda estão longe de serem concluídas - Matheus Cunha/JC
Matheus Cunha/JC
Pessoas que moram ao lado reclamam da quantidade de mosquitos advindos do entulho que há no ginásio - Matheus Cunha/JC

PREJUÍZOS

Desde o início dos trabalhos, a obra foi paralisada três vezes, "entre agosto de 2014 a abril de 2015, de novembro de 2015 a junho de 2016 e novamente a partir de dezembro de 2016 até a presente data", informa comunicado do TCE. As interrupções, destaca o tribunal, causaram prejuízos para o ginásio, pois serviços já realizados acabaram se deteriorando. Como exemplos da situação, o órgão citou "infiltrações, mofo nas estruturas do piso e das arquibancadas, acúmulo de água nas salas internas, danos ao forro e ao revestimento das paredes, oxidação das canaletas elétricas e dos pilares metálicos nas rampas de acesso, entre outros".

Os problemas citados acima já haviam sido objeto de um alerta do TCE, emitido em junho de 2016, quando Geraldo foi notificado sobre a grande quantidade de água parada no equipamento, gerando risco de proliferação de mosquitos transmissores de doenças. O tribunal destaca, ainda, que o problema permanece da mesma maneira.

Caso não responda ao alerta do TCE, o prefeito do Recife poderá responder por eventuais danos decorrentes da omissão em implementar as providências citadas.

OUTRO LADO

Através de nota, a Prefeitura do Recife afirmou que retomou as obras do Geraldão no último dia 6, antes mesmo de receber o ofício do TCE. A administração municipal acrescentou ainda que "responderá às colocações mais detalhadas feitas pela instituição no prazo por ela estipulado".

Leia abaixo o comunicado na íntegra:

Sobre as obras do Geraldão, o Gabinete de Projetos Especiais da Prefeitura do Recife informa que:

No último dia 06 de novembro retomou as obras do Ginásio, tendo sido o ofício do Tribunal de Contas do Estado (TCE) protocolado no dia 09 de novembro, três dias após a volta dos trabalhos.

Conforme solicitado pelo TCE, a Prefeitura do Recife responderá às colocações mais detalhadas feitas pela instituição no prazo por ela estipulado.

A obra do Geraldão está orçada em aproximadamente de R$ 45 milhões, sendo cerca de R$ 25 milhões investidos pela Prefeitura do Recife e cerca de R$ 20 milhões pelo Governo Federal. Até então foram executados 56% da obra.

A Secretaria de Saúde do Recife informa que realiza um trabalho específico de vistoria, controle e tratamento, quando necessário, da dengue e outros tipos de proliferação de mosquitos. O trabalho é realizado pela Vigilância Ambiental a cada 15 dias em pontos estratégicos da cidade e o Geraldão está dentro do cronograma dessa ação.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias