Eleições

'Nunca falamos sobre eleição ou filiação partidária', diz Daniel sobre Patrícia Domingos

Delegada é cotada para concorrer à Prefeitura do Recife em 2020, mas ainda não filiou-se a nenhum partido

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 20/11/2019 às 17:47
Notícia
Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Delegada é cotada para concorrer à Prefeitura do Recife em 2020, mas ainda não filiou-se a nenhum partido - FOTO: Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Leitura:

Atualizada às 19h35

Após indicar o nome da delegada Patrícia Domingos para receber, nesta quarta-feira (20), a Medalha do Mérito Legislativo da Câmara dos Deputados, o deputado federal Daniel Coelho (Cidadania) afirmou que não realizou nenhum convite formal de filiação à policial. Cotada para concorrer à Prefeitura do Recife, Patrícia tem sido cortejada por vários partidos, que têm se oferecido para abrigá-la no pleito municipal do próximo ano.

"(Fiz a indicação da delegada) Por causa dos serviços prestados por ela no combate à corrupção no Estado de Pernambuco e também para lhe apoiar na clara perseguição que tem sofrido. Por isso, ela foi hoje condecorada com a Medalha do Mérito Legislativo, como personalidade que contribuiu ao longo do ano com o combate à corrupção", declarou Daniel.

Patrícia Domingos ganhou notoriedade após encabeçar operações policiais que culminaram na prisão de políticos e empresários em Pernambuco. À época, ela era a titular da Delegacia de Polícia de Crimes contra a Administração Pública da Capital (Decasp), que foi extinta e deu espaço para o surgimento do Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Dracco). Com o fim da delegacia que chefiava, a policial foi transferida para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o que fez com que ela ficasse mais afastada dos holofotes.

Questionado sobre uma possível filiação da delegada ao Cidadania, Daniel fez questão de ressaltar que sua proximidade com Patrícia se dá unicamente porque ambos possuem pautas de interesse em comum. "Eu tenho mantido um contato muito próximo com Patrícia desde a época do Decasp, fui talvez o único parlamentar aqui no Congresso que, na época, se posicionou em relação a isso, e de lá pra cá a gente criou até mesmo uma relação de amizade pessoal. Eu não sei se ela vai ingressar na política, também se for eu não sei se será agora", disse o líder do Cidadania na Câmara.

"Eu acho que se algum dia ela decidir ingressar na política, ela naturalmente vai puxar essa conversa, mas eu respeito e nunca invadi esse espaço porque com certeza se ela quiser disputar uma eleição ela vai saber procurar. Nunca deixamos de conversar, mas nunca falamos especificamente sobre eleição ou sobre filiação partidária. No momento o que nos une são as pautas em comum", completou o parlamentar, referindo-se ao fato de que ambos são favoráveis à prisão em segunda instância e contra a atual legislação sobre abuso de autoridade, por exemplo.

Patrícia Domingos, por sua vez, disse que, por ora, não tem a intenção de disputar nenhum cargo eletivo. Segundo a delegada, neste momento tem focado seus esforços em descobrir novos quadros que possam entrar para a vida pública. "Quando eu estava na Decasp, o meu papel se assemelhava ao de um árbitro, a gente apitava o jogo, então não tinha time. Hoje, como a população demanda a minha participação na vida política, eu me transformei em treinadora", afirmou Patrícia.

A delegada refere-se à sua participação no evento Protagonismo, que será realizado em 14 de dezembro em Pernambuco, Cuiabá e Goiás. Gratuita, a ação tem por objetivo formar candidatos a vereadores e contará com palestras do deputado federal Daniel Coelho, da deputada estadual Priscila Krause (DEM) e do vereador Renato Antunes (PSC), entre outros. Patrícia Domingos não descartou, porém, que possa vir a "tornar-se jogadora" no pleito do próximo ano, concorrendo à Câmara municipal ou à prefeitura.

MEDALHA

Além de Patrícia, outras 39 personalidades do País receberam hoje a Medalha do Mérito Legislativo, como o ex-senador Armando Monteiro (PTB); o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF); a ex-primeira-dama do País Maria Thereza Goulart (viúva do ex-presidente João Goulart); a ativista da causa animal Luísa Mell e o tenista Gustavo Kuerten. "Esse prêmio reconhece e faz aproximar a sociedade da Câmara dos Deputados. É um reconhecimento que se faz às pessoas que tem trabalhado pelo Brasil", afirmou o deputado federal Mário Heringer (PDT-MG), 2º secretário da Câmara.

"Para mim foi uma honra poder representar as forças policiais na Câmara dos Deputados e demonstrar que houve a realização de um efetivo combate à corrupção durante os nossos quatro anos na Decasp. A gente leva com a gente a bandeira de Pernambuco, a bandeira das forças policiais, essa representatividade e é um momento de registrar, mais uma vez, a história de êxito da Decasp para que ela não seja esquecida", declarou Patrícia Domingos sobre a honraria.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias