Opinião

Igor Maciel: PSB faz o que sempre criticou, a reforma da Previdência e o teto dos gastos

''É preciso dar parabéns aos socialistas e aos deputados da base do governo na Alepe que mudaram de opinião sobre tais 'políticas nefastas', para dar voz à razão''. Leia o comentário de Igor Maciel

Marcelo Aprigio
Marcelo Aprigio
Publicado em 06/12/2019 às 7:34
Notícia
Foto: Diego Nigro/Acervo JC Imagem
''É preciso dar parabéns aos socialistas e aos deputados da base do governo na Alepe que mudaram de opinião sobre tais 'políticas nefastas', para dar voz à razão''. Leia o comentário de Igor Maciel - FOTO: Foto: Diego Nigro/Acervo JC Imagem
Leitura:

Igor Maciel, da coluna Pinga Fogo*

A pretexto de “ser obrigado a se adequar”, o PSB resolveu fazer muito do que sempre criticou. Criou um tipo de Previdência complementar que, no fim das contas, é a capitalização que ia “transformar o Brasil em Chile”, manteve uma alíquota de 14% para todos os servidores, independente do salário, algo que sempre reclamaram sobre impostos, e agora defendem um teto de gastos para o governo do Estado. Essa nova medida deve durar, pelo menos, até o fim do atual mandato de Paulo Câmara (PSB).

Leia mais comentários de Igor Maciel:

Com a busca de Lula por aliados para 2020, governo deve ficar atento

Bolsonaro conhece pouco ou quase nada sobre os Estados Unidos

Consórcio Nordeste decretou trégua com governo federal

Governo de Pernambuco correndo para fechar as contas

Ciro Gomes deve saber de coisas que ninguém sabe ou está só torcendo que o país dê errado

No Recife, Lula acena para Marília Arraes e João Campos

Para quem não lembra, o teto de gastos foi implantado no governo de Michel Temer (MDB), mas como Temer era “golpista” e tudo que ele fazia estava errado, o teto foi criticado pela oposição, incluindo o PSB, por limitar a capacidade de investimentos do País em setores como infraestrutura. A verdade do teto de gastos é a de que só se pode gastar o que se tem, principalmente em momentos de crise. É preciso dar parabéns aos socialistas e aos deputados da base do governo na Alepe que mudaram de opinião sobre as tais “políticas nefastas” de Temer, para dar voz à razão.

Mesmo que, no discurso, tenham sido, sempre é bom lembrar, “obrigados por Bolsonaro e por Paulo Guedes”.

*Igor Maciel é titular da coluna Pinga Fogo, no Jornal do Commercio

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias