Polêmica

Após críticas de Bolsonaro, Paulo Câmara ressalta avanços na educação de Pernambuco

Bolsonjaro criticou os governadores nordestinos porque apenas um deles aderiu à implantação de escolas cívico-militares

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 04/02/2020 às 14:40
Notícia
Foto: Hélia Scheppa/SEI
Bolsonjaro criticou os governadores nordestinos porque apenas um deles aderiu à implantação de escolas cívico-militares - FOTO: Foto: Hélia Scheppa/SEI
Leitura:

Apenas um dia após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tecer mais uma crítica aos governadores do Nordeste - desta vez por não terem aderido ao programa para implantação de escolas cívico-militares do governo federal -, o governador Paulo Câmara (PSB) afirmou que a educação é uma área "em que não cabem improvisos". A declaração foi dada nesta terça-feira (04), durante a abertura do ano letivo de 2020 na rede estadual de ensino, em uma escola situada na Zona Oeste da capital.

"Educação é trajetória. Já são 12 anos buscando melhorias dentro de um planejamento. É uma área em que não cabem improvisos. Por isso que o dia a dia é fundamental. Tenho certeza que vamos continuar nesse caminho positivo, sempre buscando uma educação pública de qualidade em Pernambuco", disse o socialista na ocasião.

Na última segunda-feira (3), ao participar da inauguração da pedra fundamental do Colégio Militar de São Paulo, Bolsonaro afirmou que, movidos por questões político-partidárias, os governadores do Nordeste não aceitaram a escola cívico-militar. "Oito dos nove governadores do Nordeste não aceitaram (o Ceará não aderiu) a escola cívico-militar. Para eles, a educação vai indo muito bem, formando militantes e desinformando lamentavelmente. Aqui no Sudeste também, tivemos dois governadores que não aceitaram (Rio de Janeiro e Espírito Santo)", disparou o presidente.

>>> Pernambuco fica de fora do Programa das Escolas Cívico-Militares

METAS

Ao passar pela instituição de ensino na manhã desta terça, Paulo também inaugurou a nova quadra coberta da escola, que teve um investimento de R$ 385 mil, e falou sobre as metas da administração para 2020. "Nossa principal meta para 2020 é continuar avançando. Os programas estão garantidos e as escolas técnicas e de tempo integral estão se expandindo. Vamos buscar melhorar cada vez mais a qualificação dos professores e motivar cada vez mais os alunos, sempre mostrando que é através dos estudos que eles vão conseguir alcançar seus sonhos", cravou.

De acordo com o governo estadual, a rede pernambucana conta com 580 alunos matriculados em 1.060 escolas. "O Estado, que já possui a maior rede de ensino integral do País, começa o ano letivo com o reforço de mais 27 escolas na modalidade, passando a contar com 440 unidades, sendo 394 escolas de referência e 46 escolas técnicas", diz a administração.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias