Eleições 2020

'Vou discutir com quem agora?', diz vereador petista do Recife

Jairo Brito (PT) (foto) disse ter ficado triste com anúncio do colega André Régis (PSDB) de ter desistido se reeleger na Câmara do Recife

Alice Albuquerque
Alice Albuquerque
Publicado em 04/02/2020 às 19:07
Anderson Barros/ Câmara Municipal do Recife
Jairo Brito (PT) (foto) disse ter ficado triste com anúncio do colega André Régis (PSDB) de ter desistido se reeleger na Câmara do Recife - FOTO: Anderson Barros/ Câmara Municipal do Recife
Leitura:

Após o discurso do vereador André Régis (PSDB), nesta terça-feira (4) no plenário da Câmara Municipal do Recife, confirmando que não irá se candidatar para mais um mandato na Casa, o vereador Jairo Brito (PT), brincou "eu vou discutir com quem agora?". A disputa político-partidária dos vereadores permite que eles tenham uma relação mútua de discussões. Inclusive, antes de Bolsonaro e do PSL, essa polarização entre PT e PSDB reproduzida na Casa esteve presente na história da política nacional depois da redemocratização do Estado.  

Em entrevista ao JC, o petista ressaltou haver um debate político-ideológico "bastante" propositivo entre eles. "Fazemos esse debate em quase toda sessão. Ele, defendendo sempre a gestão do PSDB, principalmente em nível federal. E eu contrapondo, fazendo o debate e mostrando as realizações das políticas públicas na educação, moradia, com o governo do PT", afirmou. 

>> André Régis coloca nome para disputar a Prefeitura do Recife

>> PSDB adere a mania mundial e lança perfil no Tik Tok

Nome à disposição para Prefeitura

Também em entrevista, André atenuou que não vai deixar a vida pública, nem a política e que, na condição de não disputar a reeleição, "coloco o nome à disposição para a composição de uma chapa majoritária". "Me coloco independentemente da posição, representando o PSDB. Estou à disposição e, em havendo o entendimento que eu somo, participo no campo da oposição independentemente da posição. Isso depende de um amplo arranjo entre os partidos que estão na oposição. Essa é uma decisão que foi dentro de um entendimento com a própria direção do partido nacional", disse. O tucano falou que acredita ter "muito a contribuir para o sucesso eleitoral da oposição".  

Régis falou, ainda, que sempre defendeu que o partido lançasse candidaturas majoritárias. "Os partidos formam quadros majoritários que são forjados em candidaturas majoritárias, e o partido não pode abrir mão da posição de ser protagonista. Logo um partido como o PSDB, que apresentou nas últimas eleições sempre uma candidatura alternativa ficando em segundo na eleição de 2012, e terceiro em 2016 com o deputado Daniel Coelho”. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias