Competição

Samsung faz compra para brigar com a Apple em pagamentos por celular

Os sistemas de pagamentos móveis têm sido adotados lentamente nos Estados Unidos e em outros mercados, apesar de fortes investimentos das companhias de tecnologia

Da Folhapress
Da Folhapress
Publicado em 19/02/2015 às 15:21
Foto: Robyn Beck AFP
Os sistemas de pagamentos móveis têm sido adotados lentamente nos Estados Unidos e em outros mercados, apesar de fortes investimentos das companhias de tecnologia - FOTO: Foto: Robyn Beck AFP
Leitura:

A Samsung comprou a start-up (empresa iniciante de tecnologia) norte-americana LoopPay, mostrando intenção de lançar um serviço de pagamentos por meio de smartphones para competir com a Apple.

Os sistemas de pagamentos móveis têm sido adotados lentamente nos Estados Unidos e em outros mercados, apesar de fortes investimentos das companhias de tecnologia. Apple, Google e PayPal, do eBay, lançaram serviços para permitir que usuários façam pagamentos em lojas por smartphone.

A fraca popularidade desses serviços ocorre, em parte, porque muitos varejistas têm relutado em adotar a infraestrutura de hardware e software necessária para oferecer as novas opções de pagamentos móveis.

A LoopPay funciona de um modo diferente da Apple Pay ou do Google Wallet porque não exige que os lojistas tenham um equipamento especial para receber o pagamento. Em vez disso, o sistema criado pela companhia emite um sinal magnético que "imita" a passagem de um cartão por uma máquina convencional.

Para usar o sistema, é preciso fazer o download do aplicativo e comprar um aparelho, que custa a partir de US$ 60. Ao fazer a compra, é preciso aproximar o celular próximo da máquina de cartão e apertar um botão.

De acordo com a Samsung, a LoopPay vai funcionar em vários celulares Android, em contraste com o Apple Pay, que funciona apenas nos iPhones 6 e 6 Plus e logo vai estar também no Apple Watch.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias