Coluna Carreiras e Mercado de Trabalho

Qual é salário dessa vaga? Saiba o que deve ou não perguntar numa entrevista de emprego

Aquele candidato que não se prepara, não leva uma pergunta para a entrevista pode parecer desinteressado

Felippe Pessoa
Felippe Pessoa
Publicado em 01/02/2021 às 21:29
Notícia
MARCOS SANTOS/USP IMAGENS
Será possível gerar no próprio programa uma guia para o pagamento do valor - FOTO: MARCOS SANTOS/USP IMAGENS
Leitura:

Ser chamado para uma entrevista de emprego gera uma ansiedade natural no profissional, principalmente quando está desempregado. Afinal, ali está uma oportunidade de voltar ao mercado de trabalho ou de ter um emprego melhor para aqueles que estão trabalhando. E nada mais comum do que se preparar para esse momento. Escolher uma roupa, ler sobre a empresa e pesquisar sobre o entrevistador é o básico para não chegar tão despreparado para a conversa.

>> Os golpes mais comuns para quem busca emprego e o que fazer para não cair neles

>> Entenda o que é a mentoria e como a prática pode alavancar sua carreira profissional

>> O que é coaching e como a metodologia pode ajudar no seu desenvolvimento profissional e pessoal

Mas uma entrevista de emprego segue uma espécie de ritual, na maioria dos casos. Tudo começa com uma introdução, um quebra-gelo. O entrevistador tenta deixar o entrevistado mais relaxado para começar o bate papo. O currículo é o guia condutor. Através dele, o entrevistador saberá o que perguntar e que pontos explorar, de acordo com os interesses da empresa e da vaga. Se a posição exige conhecimento específico em compras de matéria-prima, por exemplo, esse ponto deverá ser conversado a exaustão. Caso contrário, o entrevistador passará por ele, mas não deverá aprofundá-lo. E assim, a conversa segue.

No final da entrevista, chega a grande oportunidade do entrevistado mostrar seu interesse pela vaga. A clássica pergunta chega: você tem alguma pergunta? Esse momento é importante e não deve ser desperdiçado. Aquele candidato que não se prepara, não leva uma pergunta para a entrevista pode parecer desinteressado. O bom senso é essencial, mas aqui vão algumas dicas de questionamentos que você pode fazer:

Entenda o cargo do entrevistador

Em um processo seletivo é comum que aconteçam várias entrevistas. A primeira com o RH e as demais com os gestores da área. Direcione suas perguntas de acordo com o cargo de cada um.

Para o RH você pode perguntar sobre a história da empresa, a cultura, o modelo de gestão. Já para seu futuro gestor, pergunte mais sobre a carreira dele na empresa, como ele chegou até ali.

Tire suas dúvidas sobre o cargo

Na entrevista com o gestor da área, fique à vontade para falar sobre as atividades e responsabilidades do dia a dia, o que ele espera do seu trabalho. Também é importante entender por que a vaga está aberta, se é uma posição nova ou uma substituição.

Nesse momento, pergunte as expectativas do gestor em relação a você e suas entregas. Isso fará você refletir se tem condições de atingir as expectativas dele.

Pergunte sobre remuneração e benefícios

Essa, sem dúvidas, é a pergunta mais polêmica. Muitos recrutadores acham que não se deve fazer essa pergunta na entrevista de emprego, mas não é bem assim. É natural que, participando de um processo seletivo, você queira saber quanto aquela vaga paga. Afinal, são raras as exceções em que o profissional sai de uma empresa para outra, por uma remuneração menor.

Vou dar uma dica de ouro: saiba o momento de fazer a pergunta. Esse é o segredo. Trazer o tema num primeiro momento é um tiro n’água. Primeiro você deve conversar, entender a vaga, explorar as oportunidades de crescimento e, principalmente, mostrar para a empresa como você pode contribuir. Feito isso, chega o momento de fazer a pergunta sobre remuneração e benefícios.

É natural que a empresa pergunte antes sobre seu pacote de remuneração atual. Responda de maneira clara e objetiva. E aguarde sua vez de perguntar sobre o futuro salário.

Na contramão do que você pode – e deve – perguntar numa entrevista de emprego, alguns questionamentos podem parecer invasivos e desnecessários. Olha essas dicas:

Evite perguntar sobre a vida pessoal dos entrevistadores

Numa entrevista, é natural que os entrevistadores perguntem sobre a vida pessoal dos candidatos. Se são casados, se têm filhos, idade, onde moram. Essas perguntas servem para conhecer melhor o estilo de vida e identificar relações com a cultura da empresa. Mas isso não quer dizer que o entrevistado pode fazer as mesmas perguntas ao entrevistador.

Ali existe uma relação de hierarquia, quem está sendo entrevistado é o candidato a vaga. Sendo assim, evite excessos de informalidade e perguntas indiscretas.

Evite perguntas óbvias sobre a empresa

Qual o ramo de atuação da empresa? A empresa existe há quanto tempo? Essas respostas você pode encontrar no Google ou no site da empresa. Prepare-se antes da entrevista e não desperdice o tempo da conversa com questões óbvias.

Leve perguntas pertinentes a vaga, ao momento da empresa, aos desafios de crescimento e de futuro da empresa e fale como pode colaborar com isso.

Não pergunte sobre possíveis flexibilidades de horário

Especialmente nas primeiras conversas, evite falar sobre possíveis flexibilidades de horários. O ideal é entender como a empresa funciona e como você se encaixa nessa nova rotina.

Se você tem uma limitação real, pode falar. Mas não é interessante comparar o horário da empresa em que trabalha com o da nova empresa.

Evite perguntas como: vocês imprensam os feriados? Aqui tem muito happy hour? Na sexta-feira o expediente acaba mais cedo? Essas questões podem dar a impressão de pouca disposição e disponibilidade.

Evite comentar sobre boatos

Os boatos sobre empresas são comuns, principalmente vindos de ex-funcionários. Alguns falam maravilhas sobre a ex-empresa, outros nem tanto. Tente ir para a entrevista sem pré-conceitos. Isso te ajudará a criar sua própria impressão.

E comentar em entrevista sobre o que ouviu falar da empresa, jamais, principalmente se for negativo. Se na entrevista você já demonstra uma má impressão, que empresa vai te contratar?

 

Comentários

Últimas notícias