Reformas, por favor

Mais reformas e menos maluquice podem salvar o ano de Bolsonaro e do Brasil. Ele vai contribuir?

Com nova ordem no Congresso, reformas estão com passarela liberada e um tapete vermelho em seu percurso. Se o Brasil souber aproveitar, pode crescer bem. A exceção é a pauta de costumes. Religião, acesso à armas e outras peculiaridades que Bolsonaro tenta emplacar para agradar sua bolha devem cair.

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 16/02/2021 às 10:43
Análise

ISAC NÓBREGA/PR
Reformas passam, armas terão dificuldade - FOTO: ISAC NÓBREGA/PR
Leitura:

A eleição de Arthur Lira (PP) para a presidência da Câmara pode ter feito parecer que Bolsonaro havia conquistado um salvo conduto para tudo o que desejasse do Legislativo.

Não foi.

E o decreto que flexibiliza o acesso à armas no Brasil pode ser o primeiro exemplo dessa limitação.

O limite não é novo. Em certo período de 2019, quando o clima entre Bolsonaro e o Congresso não era tão ruim, uma liderança do governo em conversa com a coluna explicou que o presidente conseguiria apoio para aprovar qualquer pauta econômica fundamentada em reformas.

Na época, realmente, a reforma da Previdência foi aprovada.

Só havia uma exceção, nas duas casas legislativas: pautas ligadas aos costumes. Bandeiras da bolha bolsonarista, ligadas à religião ou à armas ficariam sempre no fundo da gaveta ou seriam rejeitadas.

Bolsonaro queimou tanto a relação que, nos últimos meses, até de impeachment ficou ameaçado.

Quando Arthur Lira assumiu, a verdade é que voltamos ao período de 2019. É curioso como se comenta, exatamente com os mesmos termos, a frase daquele líder em 2019: "pautas das reformas serão aprovadas, pauta de costumes vai cair".

Líderes do centrão, que sustenta Lira e garante Bolsonaro na presidência, já estão se manifestando contra o decreto das armas.

Voltamos ao curto período de 2019 que tinha expectativa por reformas, com maluquice sob controle?

Se for, amém.

Comentários

Últimas notícias