Cena Política

Mandetta pode sair da CPI, hoje, como vilão ou como candidato a presidente

Mandetta é hábil como orador. Quando ministro, deu trabalho a Bolsonaro. O presidente tem dificuldade pra ligar sujeitos e predicados. A testemunha de hoje, na CPI, citava Santo Agostinho e Platão para soltar indiretas contra o então chefe.

Igor Maciel
Igor Maciel
Publicado em 04/05/2021 às 8:45
Análise
MARCELLO CASAL JR/AGÊNCIA BRASIL
Mandetta pode sair herói ou vilão da CPI - FOTO: MARCELLO CASAL JR/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

Primeiro ministro da Saúde do governo Bolsonaro e o primeiro a ser demitido da série de quedas que a pandemia provocou na gestão atual, Henrique Mandetta (DEM), pode se transformar, nesta terça-feira (4) em vilão ou em candidato a presidente da República.

A linha é tênue entre um e outro, porque tanto a oposição quanto o governo pretendem pressioná-lo. Dependendo de como se comportar, pode usar os ataques dos dois lados para se projetar ainda mais. Dos possíveis candidatos do centro, o ex-ministro é o mais ativo nas articulações. Conversa com outros partidos diariamente e já chegou a montar planos de chapas para 2022. Em algumas ele é o cabeça e em outras é o vice, mas sempre está lá.

Mandetta é hábil como orador. Quando ministro, deu trabalho a Bolsonaro. O presidente tem dificuldade pra ligar sujeitos e predicados. A testemunha de hoje, na CPI, citava Santo Agostinho e Platão para soltar indiretas contra o então chefe.

Bolsonaro não entendia nada e teve que demiti-lo.

Entenderá hoje?

Comentários

Últimas notícias