Opinião

Justiça obriga Google a censurar escândalo JBS

O portal de buscas está impedido de conceder acesso a informações que envolvam escândalo de Joesley Batista e grupo J&F/JBS

JC
Cadastrado por
JC
Publicado em 10/03/2020 às 7:17 | Atualizado em 10/03/2020 às 10:47
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
O empresário Joesley Batista durante depoimento na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da JBS - FOTO: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

Maior portal de buscas do mundo, o Google vem sendo obrigado pela Justiça brasileira a censurar acesso a notícias sobre o escândalo de corrupção envolvendo Joesley Batista & cia, controladores do grupo J&F/JBS. Tudo à revelia da Constituição, que veda qualquer forma de censura, e também do interesse público. Os veículos ficam sabendo da censura quando o Google comunica a decisão autoritária da Justiça. Impedidos de processar os veículos e os jornalistas, que afinal apenas informaram fatos, censuras e o acesso às notícias por meio do Google. Correm em conveniente 'segredo de Justiça' as ações determinando ao Google que censure notícias sobre o esquema de corrupção. Dada a 'interpretar' em vez de cumprir a lei, parte da Justiça faz de conta que não conhece o artigo 220 da Constituição proibindo censura. A Constituição proíbe 'qualquer restrição' à informação e veda 'toda e qualquer censura'. Exceto para corruptos ricos e influentes, pelo visto.

Tragédia só na TV

O governo paulista acha injusta a crítica a João Doria (foto) por se meter na campanha do Rio em meio à tragédia da Baixada Santista. Diz que ele cuidou das vítimas, ao contrário de Bolsonaro, “que adora a região para passar virada de ano e Carnaval, mas preferiu ver a tragédia pela TV”.

Dólar dispara

A escalada do dólar tem feito estragos nas viagens internacionais e em quem depende de produtos importados, ao se aproximar dos R$5, mas a situação ainda está longe de atingir o nível alcançado em 2002, com a iminente vitória de Lula nas eleições presidenciais. A cotação de R$4 da época, motivando a 'Carta aos Brasileiros', equivaleria a R$11,14 atualmente, aplicada a correção do IPCA dos últimos 18 anos no Brasil.

Controle

Enquanto a inflação oficial no Brasil foi de cerca de 178% no período, nos EUA foram 43% e aquele dólar de 2002 equivale hoje a US$1,43.

Emergentes

Na Índia, a rúpia bate recordes negativos. Na Rússia e África do Sul, as altas são similares. Apenas o euro e a libra se salvaram. Por enquanto.

Impacto mundial

Desde o surgimento do coronavírus, o dólar se valorizou contra o peso mexicano, colombiano, argentino e uruguaio, além do iene japonês.

General, tudo bem

Entreouvido no cafezinho da Câmara, deserta de deputados, sobre a demissão do general Amir Kurban de órgão do Ministério do Esporte: 'Enquanto estiver caindo general, tá bom'. É o quinto a ser demitido.

Decoro no lixo

Da tribuna do Senado, nesta segunda (9), o senador Telmario Mota (Pros) xingou o ex-senador Romero Jucá (MDB), seu desafeto, para ele 'um vagabundo' e 'o maior ladrão que Sarney mandou para Roraima'.

Frase

As reformas são a melhor resposta à crise” Ministro Paulo Guedes (Economia) sobre as crises nas bolsas e no preço do petróleo.

Vale para descer

Ex-diretor da agência reguladora ANP, David Zylbersztajn acha correta a política de “cotação internacional” determinar o preço na bomba, mas diz que, na baixa, a regra deve valer também para reduzir o valor.

Nós pagamos

“Quem quer ser deputado e senador já sabe que vai ter que morar em Brasília. Então venha preparado para pagar seu aluguel. Nós pagamos o nosso”, diz a leitora Margarida Santana, sobre o auxílio-moradia. 

*Cláudio Humberto assina coluna diária no Jornal do Commercio

Comentários

Últimas notícias