OPINIÃO

Eduardo Pazuello agarra-se ao cargo como carrapato

"Fontes palacianas acham que ele pediu "mais um tempo" como ministro para tentar mostrar serviço". Leia a opinião de Cláudio Humberto

Cláudio Humberto
Cláudio Humberto
Publicado em 23/03/2021 às 6:16
Artigo
TOMAZ SILVA/AGÊNCIA BRASIL
Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello - FOTO: TOMAZ SILVA/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

Ritmo da vacinação

A chegada de novas doses e insumos para fabricação pela Fiocruz e Instituto Butantan fez o ritmo da vacinação no Brasil quase dobrar neste mês de março, em relação a fevereiro. Segundo o portal vacinabrasil.org, era de 205.292 a média diária de doses aplicadas ao final do mês passado, mas começou a acelerar em março até atingir 384.752 no domingo. Com a liberação do estoque que era reservado para garantir a aplicação da 2ª dose, a tendência é que, logo, a média passe de 500 mil. A liberação das doses se deve a maior quantidade e regularidade na chegada de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) para fabricar a vacina. Sem muita comemoração pelos que parecem torcer pelo vírus, a sexta (19) foi o primeiro dia em que o Brasil aplicou mais de 500 mil doses. Desde o início do mês, a regra é aplicar de 300 mil a 535 mil doses. O ritmo cai apenas aos domingos, quando fica entre 65 mil e 115 mil. O Ministério da Saúde estima que a liberação das doses de reserva, de segunda dose, deve dobrar o número de vacinados em uma semana.

Justiça não pode governar

Desembargador do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, Pedro Valls Feu Rosa negou ontem liminar contra o lockdown decretado pelo governo estadual, em decisão muito elogiada. Ele observou, no texto, que o Judiciário não pode adotar decisões que cabem aos governantes: “Aos juízes não cabe administrar por vias indiretas. Gerir a coisa pública através de decisões judiciais. Ou legislar de forma oblíqua”, ensinou. Feu Rosa deu uma lição de democracia, limites constitucionais e bom senso, algo raro de se ver em decisões do gênero em todo o País. “Tenho eu, enquanto juiz, condições legais de definir tais medidas? De dizer o que deve e o que não deve ser feito? Não, não as tenho”, disse. Na semana passada, o governador Renato Casagrande (PSB, foto), ordenou medidas restritivas por duas semanas em todo o Espírito Santo.

Cocem o bolso

Milionários e economistas que os assessoram produziram um documento cheio de obviedades e duvidosa eficácia. Poderiam ter aproveitado para anunciar um fundo de financiamento da pesquisa científica, como se faz nos EUA e Europa. Mas aqui estão ocupados demais ganhando dinheiro.

Não há vacinas

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (DF) voltou a constatar que é só papo a história de “consórcios” de estados e municípios para comprar imunizantes: “não há para pronta entrega”.

Desapega

Eduardo Pazuello agarra-se ao cargo como carrapato. Fontes palacianas acham que ele pediu “mais um tempo” como ministro para tentar mostrar serviço, sem perceber que o País tem pressa de vê-lo pelas costas.

Aval a Pacheco

A moção aprovada pelos senadores reafirma a liderança do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que pediu esse voto de confiança, mas tem pouca eficácia: a rigor, não há vacinas disponíveis no mercado. E o Brasil já comprou meio bilhão de doses

Tô fora

O ex-presidente Michel Temer achou graça quando soube que pretendiam lançar sua candidatura a presidente, em 2022. “A única candidatura a que me disponho é tomar a segunda dose, nada mais.”

Agora, sim

Israel vai tentar eleger o premier pela quarta vez em apenas dois anos. Mas, desta vez, com o sucesso da vacinação contra covid, Benjamin Netanyahu deve obter maioria no parlamento israelense.

Frase

"Mandetta passou mais tempo dando entrevistas que trabalhando” - Senador Ciro Nigueira (PI), presidente nacional do PP, sobre erros durante a pandemia

MIGUEL RIOPA/AFP
"Com a liberação do estoque que era reservado para garantir a aplicação da 2ª dose, a tendência é que, logo, a média passe de 500 mil" - FOTO:MIGUEL RIOPA/AFP

Comentários

Últimas notícias