OPINIÃO

Vendedor de vacina que denunciou suposta propina afirma que Luís Miranda era o que "mais incomodava"

O vendedor quase saiu preso por haver exposto um áudio constrangedor do deputado Luis Miranda (DEM-DF), testemunha-chave da CPI da Pandemia, fazendo negócios. Leia os destaques de Cláudio Humberto nesta sexta-feira (2)

Cláudio Humberto
Cláudio Humberto
Publicado em 02/07/2021 às 6:48
Análise
EDILSON RODRIGUES/AGÊNCIA SENADO
O cabo PM-MG Luiz Paulo Dominguetti disse que Miranda negociava venda de vacinas, mas voltou atrás após questionamentos - FOTO: EDILSON RODRIGUES/AGÊNCIA SENADO
Leitura:

Denunciante quase preso

Na reversão de expectativas em que se transformou o depoimento de Luiz Dominguetti Pereira, que acusa o ex-diretor de Logística do Ministério de Saúde de lhe pedir propina, o vendedor quase saiu preso por haver exposto um áudio constrangedor do deputado Luis Miranda (DEM-DF), testemunha-chave da CPI da Pandemia, fazendo negócios. O áudio é de 2020 e o já deputado insistia na venda de luvas, um dos equipamentos de proteção individual para hospitais. A cúpula da CPI, hostil ao governo, saiu em socorro de sua testemunha-chave, confiscando o celular do denunciante e desqualificando o áudio. Alegaram que o áudio não dizia respeito a vacinas, mas a luvas, como se um deputado federal pudesse fazer negócios de qualquer natureza. Ao se referir a Miranda, que na CPI virou arauto da moralidade, Pereira disse que ele era "o que mais incomodava", insistindo em vender. Figura controvertida, Miranda foi acusado de aplicar golpes em Brasília, mudar-se para Miami e lá também sofrer acusações ainda mais graves.

Pedido sem fundamento

O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-SP), disse que o pedido do Psol no Conselho de Ética para puni-lo não tem fundamento e que não passa ainda de uma acusação a ser apurada.

Emprego

Tarcísio Freitas (Infraestrutura) descreve como "sensacional" o resultado do Cadastro Geral de Empregos e Desempregos, que registrou 1,2 milhão de empregos formais criados nos cinco primeiros meses de 2021.

Mestre

Em visita à sede da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Lisboa, o chanceler Carlos França se referiu ao chefe da representação brasileira na entidade, embaixador Pedro Fernando Brêtas Bastos, como "professor dos professores" da diplomacia nacional.

Bastidores

Ministros do Tribunal de Contas da União identificam as digitais do empresário Carlos Suarez e do filho de outro ministro em críticas e ataques publicados em sites. A intriga azedou os bastidores do TCU.

Maranhão

Concentrado na mudança do PCdoB para o PSB, de olho em 2022, o governador Flávio Dino está tomando um baile. O Maranhão é único estado do Nordeste que ainda não atingiu 10% da população imunizada.

Jogo de palavras

Estudo da Verizon, gigante americana das comunicações, e da brasileira Apura Cyber Intelligence em 88 países concluiu que 40% dos cibercrimes incluem manipulação psicológica para obtenção de dados confidenciais.

Crise

Há 24 anos, o colapso da moeda tailandesa baht provocava, em 2 de julho, o início da crise financeira asiática de 1997, que só teve resolução após intervenção de US$40 bilhões do Fundo Monetário Internacional.

Frase

"Ah, vai plantar cebola". Presidente Bolsonaro após Alexandre de Moraes (STF) arquivar inquérito e abrir outro

 

Comentários

Últimas notícias