opinião

MPF alega 'respeito à cultura' para não denunciar à Justiça crime hediondo que teve pajé e cacique como mandantes

A decisão provoca estupefação inclusive entre procuradores, já que o adolescente índio de 16 anos foi morto e executado a tiros por dois índios, dentro de sua própria casa, o garoto foi arrastado por 10 quilômetros e esquartejado à beira do rio Cabitutu. Leia a opinião de Cláudio Humberto

Cláudio Humberto
Cláudio Humberto
Publicado em 17/11/2021 às 6:54
MPF/Divulgação
O Ministério Público Federal considera que as declarações se enquadram no crime de racismo, seguindo decisão do STF - FOTO: MPF/Divulgação
Leitura:

MPF não acusa pajé

Em decisão que provoca estupefação inclusive entre procuradores, o Ministério Público Federal (MPF) alegou "respeito à cultura" para não denunciar à Justiça um dos crimes mais hediondos da história: a morte e esquartejamento de um adolescente índio de 16 anos, a mando do pajé e do cacique da etnia munduruku, em Itaituba (PA). O MPF avalizou a versão de que a vítima teria causado afogamento de outro índio por "magia negra". O procurador de Justiça no Rio, Marcelo Rocha Monteiro, chocado, considerou a interpretação "assustadora" e "absurda" do MPF. Rocha Monteiro lembrou que a Constituição Federal (CF) não assegura a ninguém, nem mesmo a indígenas, o "direito" de matar pessoas. Executado a tiros por dois índios, dentro de sua própria casa, o garoto foi arrastado por 10 quilômetros e esquartejado à beira do rio Cabitutu. O corpo foi picado em pequenos pedaços, "retiraram seu fígado e coração, triturando-os", conforme relato chocante do próprio MPF. A decisão de não punir o homicídio se baseia em parecer de um "analista de antropologia" e outras concepções e interpretações equivocadas.

Leite 'piscou' ao tentar adiar prévias

O esforço dos coordenadores de campanha do governador gaúcho Eduardo Leite para adiar as prévias do PSDB foi interpretada no partido como uma admissão de que ele não tem forças para vencer. Leite chegou a dizer que era tudo "mentira", mas gravações obtidas pelo site Diário do Poder provaram o contrário. Os pré-candidatos João Doria e Arthur Virgílio reagiram à manobra, considerando-a "imoral" e "casuísta". Prévias foram convocadas para dirigentes e filiados definirem no domingo (21) o candidato do PSDB a presidente, em 2022. A alegação para o adiamento é de problemas de confiabilidade no aplicativo desenvolvido pelo PSDB-RS que permitiria votação virtual. Em um dos áudios, o presidente do PSDB, Bruno Araújo, gargalhou ao reagir à proposta de adiar: "Quem cria o aplicativo não quer eleição!".

Mandou bem

O ministro das Comunicações, Fabio Faria, mandou bem ao tentar convencer o bilionário Elon Musk presidente da Tesla, a investir no Brasil. "Queremos que o País seja hub de inovação da América Latina com o 5G", exultou Faria em suas redes sociais.

Maluf fez escola

Há pouco tempo no cargo, o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, já desenvolveu uma característica que pode até evitar problemas, mas desagrada entrevistadores: é do tipo que foge das perguntas.

Luz irrelevante

A Câmara banalizou a iluminação do seu prédio em cores diferentes, como forma de destacar uma boa causa ou um acontecimento. A profusão de cores tornou o que era simbólico em irrelevante.

Governo federal avalia iniciar o processo de privatização da Petrobras vendendo todas as suas refinarias

Frase

Conseguiu desempregar os desempregados" - Deputado Áureo Ribeiro (SD-RJ) sobre a política de preço (e de lucros) da Petrobras

Vacinação

O Brasil superou a marca de 162 milhões de pessoas com ao menos uma dose de vacina contra a covid-19. Dessas, 121 milhões estão com o ciclo vacinal completo e 12,5 milhões já receberam uma dose de reforço.

Devagar demais

O deputado Kim Kataguiri citou dados do TCU, ontem, ao discutir projeto que reserva verbas para garantir obras públicas, mostrando que dos 38 mil contratos, mais de 14 mil estão paralisados.

Irreversível

O pix completa um ano e 80% das ONGs já o utilizam para receber doações. O avanço é indiscutível, mas certas decisões judiciais mostraram que ninguém é mais 100% livre para gastar seu dinheiro.

 

Comentários

Últimas notícias