opinião

Com medo de protestos, STF gasta R$ 600 mil em grades

O Supremo Tribunal Federal (STF) abriu processo para gastar R$600 mil na compra de 2.500 metros de grades para cercar seu prédio, em Brasília. A Praça dos Três Poderes passou a receber quilômetros de grades no governo Dilma, com medo de protestos, e seguem até hoje. Leia a opinião de Cláudio Humberto

Cláudio Humberto
Cláudio Humberto
Publicado em 25/11/2021 às 6:33
Análise
WALDEMIR BARRETO/AGÊNCIA SENADO
Fachada do STF - FOTO: WALDEMIR BARRETO/AGÊNCIA SENADO
Leitura:

STF gasta R$600 mil em grades temendo protestos

O Supremo Tribunal Federal (STF) abriu processo para gastar R$600 mil na compra de 2.500 metros de grades para cercar seu prédio, em Brasília. A Praça dos Três Poderes passou a receber quilômetros de grades no governo Dilma, com medo de protestos, e seguem até hoje. Essas grades de contenção ofendem o tombamento de Brasília pela Unesco, que exige a preservação do espaço bucólico da cidade. Cada metro custará R$240 aos pagadores de impostos. Total: R$600 mil. O Edital 39/2021 lançado pelo STF pretende comprar cercas metálicas, que vem sendo alugadas desde os protestos de junho de 2013. O edital da licitação prevê 1.250 peças de alambrado medindo, no mínimo, 2 metros de comprimento por 1,20m de altura. Há cinco anos, o Iphan decretou que grades de fundo de uma loja de Brasília eram "atentado" ao tombamento. Grades no STF pode? À turma do site MS em Brasília, parceiro da coluna, o STF informou que a grade servirá para "controle" e "segurança". Claro, claro.

Itamaraty vai desfazer troca

O Itamaraty vai desfazer a troca marota das residências do embaixador do Brasil em Bruxelas, Bélgica, com a do nosso representante na União Européia (UE). No governo Michel Temer, o poderoso secretário-geral do Itamaraty, Marcos Galvão, de olho na bela casa há anos ocupada pelo embaixador do Brasil, designou um assessor para o cargo e ele próprio para chefiar a Missão na UE, muito menos trabalhosa. O ex-assessor, agradecido pelo cargo, não ousou criar dificuldades à troca. Na linda casa viveu o marechal Bernard Montgomery, comandante das forças inglesas de libertação, a quem a Alemanha nazista se renderia. Diplomatas brasileiros reconhecem a alta qualificação de Galvão, mas dizem que sua passagem pela Missão na UE quase não foi notada. Do tipo articulado, Marcos Galvão agora cavou sua designação para a embaixada em Pequim, onde não se repetirá a moleza de Bruxelas.

Exceções

Com exceções como Paraná Pesquisas e Orbis, muitos institutos correm para "aproximar" Lula de Bolsonaro. Evaporaram vantagens de até 25 pontos, agora são 5 ou 6. Tudo porque, a partir de 1º de janeiro, todos serão obrigados a disponibilizar as pesquisas à Justiça Eleitoral.

Marqueteiras

A Frente Parlamentar Mista da Inteligência Artificial foi instalada nesta quarta (24) no Congresso. Apesar da enorme relevância do tema, será a 347ª frente parlamentar a ser instalada apenas nesta Legislatura.

Ânimo

Com o jornalismo de funerária em declínio, com a vacinação recorde, aposta-se agora no "caos econômico" em 2022. Não chega a provocar caos, mas explica a queda de 1,4% na confiança do consumidor.

Frase

O programa de concessões do presidente segue firme"

Tarcísio Freitas (Infraestrutura) ao anunciar arrendamentos do Porto de Paranaguá

Black Friday evidencia fracasso dos Procons

Ódio

A deputada Bia Kicis (PSL-DF) foi atacada nas redes sociais por tentar trazer de volta para 70 anos a aposentadoria compulsória no STF e no serviço público. O deputado José Medeiros lembra que se Kicis fosse ligada ao PT, isso seria "violência de gênero, discurso de ódio" etc.

Números

Levantamento ModalMais revela que Bolsonaro avançou quase oito pontos percentuais desde julho, quando dizia que o presidente tinha apenas 25,2% das intenções de voto. Lula foi de 33,8% para 38,6%.

Energia

A Aneel comemorou a marca de 20 gigawatts de capacidade para geração eólica de energia, suficiente para 20 milhões de pessoas. Se fossem 100 gigawatts, não precisaríamos de termelétricas.


Comentários

Últimas notícias