Coluna Cláudio Humberto

Assessor de Bento Albuquerque ganha cargo de R$ 75 mil na ONS

Christiano Vieira ganhou do almirante a diretoria de Operação do ONS, sigla de Operador Nacional do Sistema, R$ 75 mil mensais

Cláudio Humberto
Cadastrado por
Cláudio Humberto
Publicado em 29/04/2022 às 8:52 | Atualizado em 29/04/2022 às 8:53
TÂNIA RÊGO/AGÊNCIA BRASIL
Chefe do Ministério de Minas e Energia (MME), Bento Albuquerque - FOTO: TÂNIA RÊGO/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

O chefe do Ministério de Minas e Energia (MME), Bento Albuquerque, mostra que seu mundo é a repartição. Agora arrumou uma bela boquinha para um protegido, Christiano Vieira, secretário de Energia Elétrica do MME. Christiano ganhou do almirante a diretoria de Operação do ONS, sigla de Operador Nacional do Sistema, R$ 75 mil mensais. Elisa Bastos terá moleza idêntica; ela sai Aneel, agência que presta vassalagem a empresas do setor, para ser diretora de Assuntos Corporativos da ONS.

Bento sabe cuidar dos seus. Criou a estatal ENBPar para controlar outras duas, e botou na sua presidência um amigão e ex-assessor. A exemplo de Christiano Vieira, o almirante Ney Zanella dos Santos era auxiliar de Bento Albuquerque no Ministério da Minas e Energia.

A ENBPar, instalada nas costas dos brasileiros, substituirá a Eletrobras no controle de estatais "imprivatizáves", como Itaipu e Eletronuclear. O diretor-geral do ONS, Luiz Carlos Ciocchi, outro que parece pedido em suas funções, fatura um salário ainda maior: R$ 90 mil mensais.

Quem governa?

O partido Rede fracassou nas urnas, tem só dois deputados federais, e o STF tampouco é votado. Mas se
juntaram para ontem (28) anular, pela enésima vez, decisões administrativas de um governo eleito nas
urnas.

Licença para ver jogos de vôlei

O deputado distrital Rodrigo Delmasso (MDB) foi autorizado pela mesa diretora da Câmara Legislativa a
se ausentar do trabalho desde quarta (27) até 16 de junho, para que ele... não perca jogos de vôlei em
Brasília nesse período. O deputado aproveitou convite do presidente da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) para os jogos e ingressou sem demora com pedido para ser dispensado do trabalho. Mas a jogada, no entanto, permitirá ao deputado se ausentar do trabalho até outubro.

O fim da licença, 16 de junho, coincidirá com o início do maldito recesso parlamentar de meio do ano, que dura um mês inteiro. Como agosto e setembro os políticos estarão em campanha, o deputado folgado só voltará a "pegar no pesado" após a eleição de outubro. As competições de vôlei acontecem em Brasília e certamente o deputado poderia conciliá-las com o trabalho. Mas daria uma canseira...

Temperado

O pré-candidato do PDT a presidente Ciro Gomes ouviu um grito de "mito!", durante passeio na Agrishow, em Ribeirão Preto (SP). A resposta foi de anão político: "Roubou a tua mãe, ou comeu ela?".

Cego em tiroteio

Em coletiva de obviedades, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, falou três vezes que importante é
"achar soluções para os problemas do Brasil", sem citá-las. Tirar projetos e reformas da gaveta, que é
bom...

Vale lembrar

O WhatsApp suspendeu, em março, contas de administradores dos grupos oficiais do ex-corrupto Lula, incluindo um tal de "Lulaverso". O Meta, dono do Whatsapp, não explicou motivos, os petistas tampouco.

Uma palestra?

Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, faz na FGV, nesta segunda (2), mais uma palestra. Dessa vez, o ministro vai falar sobre "Liberdade de Expressão e Democracia" no Brasil contemporâneo.

No pescoço

A política mais oportunista da história da Argentina mostra sua casa: quando viu que o governo do demagogo Alberto Fernández estava fazendo água, a vice-presidente Cristina Kirchner pulou para a
oposição.

Frase

"O processo eleitoral brasileiro é uma referência" Deputado Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara,
sobre as urnas eletrônicas

Comentários

Últimas notícias