TELECOMUNICAÇÕES

Qual o destino dos clientes da Oi em Pernambuco após venda da operadora ?

Consórcio formado por Claro, TIM e Vivo ainda espera formalização do negócio no Cade, mas já organiza transição dos clientes da Oi

JC
JC
Publicado em 22/12/2020 às 7:00
Notícia

ANDRÉ NERY/ACERVO JC IMAGEM
Coluna consumidor 1 - FOTO: ANDRÉ NERY/ACERVO JC IMAGEM
Leitura:

Com a venda da parte móvel da Oi, os clientes da operadora em Pernambuco deverão migrar em sua maioria para a operadora Vivo. No consórcio formado pela Vivo, TIM e Claro ficou definido que não pode haver “uma operadora dominante”. Pela lógica, a com menor market share incorpora a maioria dos clientes. No Estado, a Anatel aponta que a Vivo tem apenas 12% do mercado. A Oi lidera com 33%, TIM (28%) e Claro (25%) em seguida. No Nordeste Vivo segue na mesma posição. O negócio no Cade só deve ser finalizado em 2021, mas as operadoras já preparam a transição, até sem demandar a troca de chip. As ofertas também sofrerão ajuste, já que cerca de 60% dos clientes Oi são pré-pagos.

Mulheres na economia digital

O Facebook está com inscrições abertas até o dia 31 de dezembro para a primeira turma do programa Ela Faz História. Em parceria com a Aliança Empreendedora, a iniciativa oferece “Educação Financeira para Mulheres Empreendedoras”, fomentando a participação feminina na economia digital. Podem se inscrever no site www.tamojunto.org.br/elafazhistoria

SMS cobra...

Até esta terça-feira, brasileiros que tiveram o Auxílio Emergencial cancelado ou receberam sem ter direito podem ver chegar mensagens SMS da Cidadania alertando sobre contestação ou cobrança pela quantia paga


…Auxílio pago

Os avisos serão enviados para 1,2 milhão de pessoas. Todos que receberem SMS podem contestar no site da Dataprev ou devolver o dinheiro pelo site www.devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br, do governo

Isolamento segura comemoração

Quase 58% dos pernambucanos pretendem comemorar o Natal ou o Ano Novo, segundo a Fecomércio-PE. A perspectiva de compras anima de forma comedida o comércio varejista. O número é representativo, pois supera os 50% - que não vinha sendo atingido em outras datas -, mas ainda é inferior aos 69,3% registrados no mesmo período de 2019. Com redução do auxílio emergencial e recrudescimento dos casos de covid-19, dos que não pretendem comemorar, pelo menos 38,7% apontam que o motivo é o retorno da adesão ao isolamento social. A intenção observada entre os dias 9 e 12 de dezembro. 

Comentários

Últimas notícias