COMBUSTÍVEIS

Etanol é o combustível que mais aumentou de preço este ano: 43%

Levantamento feito pela Ticket Log também apontou alta de 30% no preço da gasolina entre janeiro e setembro de 2021

Edilson Vieira
Edilson Vieira
Publicado em 05/10/2021 às 15:36
Notícia
DIVULGAÇÃO
Região Nordeste tem o etanol mais caro do País, segundo o índice Ticket Log - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

 

O valor médio do etanol liderou as maiores altas entre todos os tipos de combustíveis no fechamento de setembro, revelou o último Índice de Preços Ticket Log (IPTL). Com alta de 4,11%, no comparativo com agosto, o combustível derivado da cana de açúcar registrou a média de R$ 5,388, em setembro. Já a gasolina avançou 2,31% no mesmo período e alcançou R$ 6,260, dois meses após ultrapassar, pela primeira vez, R$ 6,00. Se comparado a janeiro, quando o fechamento foi de R$ 4,816, a diferença é de 30%.

“Pelo quarto mês consecutivo, o etanol apresenta médias acima de R$ 5,00 e neste fechamento de mês liderou a maior alta entre todos os combustíveis. Quando analisamos o comparativo com o primeiro mês do ano, o aumento no preço do etanol foi de 43%”, destaca Douglas Pina, chefe de mercado urbano da Edenred Brasil, empresa que administra a Ticket Log.

Assim como em agosto, o último mês foi de aumento no preço médio da gasolina em todo o Brasil. A alta mais expressiva, de 2,71%, ocorreu no Sul, comercializada a R$ R$ 6,072, que mesmo com o maior aumento, foi a menor média nacional para o período. A Região Centro-Oeste, com alta de 1,68%, concentrou o maior valor médio registrado nos postos em setembro: R$ 6,373. O Rio Grande do Norte foi o estado a apresentar a maior alta para a gasolina, avanço de 5,98%, com o litro a R$ 6,572.

REGIÕES

Já o etanol teve como destaque a Região Norte que apresentou a maior alta, de 6%, no preço médio, no comparativo com agosto. O menor acréscimo ocorreu no Nordeste, de 2,56%, mas a região ainda concentra o valor mais caro do litro nacional, vendido a R$ 5,560. O Distrito Federal liderou a maior alta no País para o etanol, avanço de 8,88%, comercializado a R$ 5,726, ante a média de R$ 5,259 de agosto.

No recorte por estados, o Rio de Janeiro segue liderando o ranking da gasolina mais cara do Brasil, a R$ 6,675, aumento de 2,31% em comparação com agosto. Já o Amapá, estado em que o combustível apresentou o menor valor médio (R$ 5,610) o aumento foi de 1,80%. Nenhum estado apresentou redução no preço da gasolina no período.

No caso do etanol, o maior preço médio do período, R$ 6,132, foi registrado no Rio Grande do Sul, após aumento de 3,79% em comparação a agosto. O estado de São Paulo segue liderando o ranking do menor valor para o combustível, R$ 4,524, mesmo com o aumento de 5,70%. Assim como a gasolina, o etanol não registrou baixa em todo território nacional.

O IPTL é um índice de preços de combustíveis levantado com base nos abastecimentos realizados nos 21 mil postos credenciados da Ticket Log por cerca de 1 milhão de veículos cadastrados. 

 

Comentários

Últimas notícias