opinião

Atitudes simples trazem grandes mudanças

O desafio de lidar com o dinheiro segue firme no dia a dia de muitos brasileiros, por isso acho bastante válido refletir e reforçar cinco atitudes que podem te desviar da prosperidade financeira

Leandro Trajano
Leandro Trajano
Publicado em 22/11/2021 às 6:52
Análise
Marcello Casal JrAgência Brasil
O ideal é buscar mais de uma para não depender apenas do emprego - FOTO: Marcello Casal JrAgência Brasil
Leitura:

O desafio de lidar com o dinheiro segue firme no dia a dia de muitos brasileiros, por isso acho bastante válido refletir e reforçar cinco atitudes que podem te desviar da prosperidade financeira. É preciso estar atento para afastá-las da sua vida. É impressionante como o que baliza as nossas conquistas, a nossa vida financeira, são as nossas atitudes, as nossas escolhas, por isso reflita com atenção e coração aberto, pois algumas dessas atitudes podem ser de impacto para você ou alguém do seu convívio.

A primeira é fazer compras por impulso, e nessa reta final do ano então, caem as parcelas do 13º, os apelos para compras da Black Friday e Natal são gigantes e muitos compram por impulso mesmo, sem pensar muito, mas a conta chega. Muitos de nós já passamos por uma situação como entrar numa loja de roupas, por exemplo, olhar algumas peças, experimentar outras e, por impulso, levar alguma(s) que não precisamos e de repente nem vai ter tanto uso. Por impulso também, muitos compram ao se deparar com aquele corredor cheio de produtos, na fila do caixa dos supermercados e lojas de varejo. Aquela seção com os itens que são levados de última hora, no apagar das luzes, se chama justamente "impulso", itens de baixo valor, no geral, e que não exigem muita reflexão do cliente, e termina por aumentar o ticket médio das compras dele na loja.

Outro ponto que leva muita gente a se perder na vida financeira é o parcelamento excessivo. Muitas pessoas têm o hábito de comprar tudo parcelado. Passou o cartão, a pessoa do caixa pergunta se quer parcelar sem juros e a resposta já sai no automático para que divida no máximo de vezes que a loja permitir. Juntando uma pequena parcela daqui e outra dali, compromete muito do que você vai receber adiante, já pendura parte do orçamento. Vejo frequentemente clientes meus que têm um grande gargalo financeiro aí, no uso nada consciente do cartão de crédito e nas compras parceladas, esse sem dúvidas é o caminho para a mudança da realidade financeira de muitas famílias. É comum encontrar pessoas com alto nível de comprometimento devido às parceladas, e muitas nem se davam conta disso. Não sou contra o parcelamento, mas vejo que nem sempre ele é usado de forma inteligente. Não tem problema se isso for feito de forma pensada, estratégica, mas, quando não é, se torna um caminho rápido para o alto comprometimento da renda ou até mesmo o endividamento.

A terceira atitude que trago é ter apenas uma fonte de renda. O ideal é buscar mais de uma para não depender apenas do seu emprego. Sei que para muitas pessoas não é fácil, mas é possível sim. Naturalmente, não para todos, porém muitas pessoas teriam como gerar algo mais de renda extra, e isso seria de grande valia.

Busque essa renda em algo te dê prazer, que de alguma forma você consiga encaixar na sua rotina mensal. Como disse antes, muitos dirão que é impossível, que não tem como, não tem tempo e terminam se rendendo ao que no futuro podem perceber que poderia ter sido feito de uma forma diferente. Conheço muitas pessoas que estruturaram novas possibilidades, que se tornaram novos negócios e passaram a ter novas fontes de renda, ou até mesmo a ter essa tal possibilidade como a principal fonte de renda, e com isso vem crescendo e pavimentando caminhos interessantes no campo pessoal e profissional, realização, longevidade financeira.

Outro ponto é em relação ao status. Reflita bem e, se possível, fuja disso, ele também é potencial para te afastar da prosperidade. Muitas pessoas vivem uma realidade acima do que podem devido ao que querem mostrar para os outros, e isso coloca muita gente numa guilhotina financeira.

Para finalizar, a quinta atitude que percebo deixar muita gente numa situação difícil, é a de terceirizar a responsabilidade quanto à vida financeira. Colocando a "culpa" na pandemia, no governo, na crise, na inflação, no desemprego, nos impostos, no chefe, no salário baixo, na despesa alta. Respire... Traga a responsabilidade para si, bata no peito e assuma que quem está à frente de sua vida é você, e que ninguém é mais capaz de mudar a sua vida do que você mesmo. Procure assumir não só a responsabilidade, mas o controle da situação, corra atrás, procure alternativas, possibilidades de mudar e fazer ajustes. Para quem está endividado, lancei recentemente um e-book gratuito que está disponível no link da bio do meu instagram (@personalfinanceiro).

Sei que é desafiador, mas também transformador para quem pensa assim, mudar a forma de encarar o momento, muda também o seu ânimo, a garra e a busca por mudança. Para que isso aconteça, precisa partir de dentro de cada um, mesmo em momentos de menos confiança, é encarar de frente e avançar, construir um pouco mais a cada dia, e sim, o resultado vem!

Abraço e até a próxima!

Comentários

Últimas notícias