COLUNA ENEM E EDUCAÇÃO

Com aumento de casos de covid-19 em Pernambuco, colégios cobram que alunos sigam protocolos

Sindicato das escolas particulares de Pernambuco orientou que donos dos colégios reforcem com as famílias a necessidade de cumprir protocolo para proteção contra a covid-19

Margarida Azevedo
Cadastrado por
Margarida Azevedo
Publicado em 09/06/2022 às 18:49 | Atualizado em 09/06/2022 às 19:07
YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
Máscaras continuam sendo exigidas nos ambientes fechados das escolas - FOTO: YACY RIBEIRO/ JC IMAGEM
Leitura:

Perto de concluir o primeiro semestre letivo, escolas privadas de Pernambuco foram orientadas pelo sindicato que as representa, a reforçarem, juntos às famílias dos alunos, a importância de manterem os protocolos sanitários de proteção contra a covid-19, principalmente o uso de máscaras e a testagem caso surjam sintomas da doença.

O alerta surge no momento em que Pernambuco vivencia um incremento no volume de casos leves da doença e interrompe uma sequência de quase 50 dias consecutivos com confirmações de covid-19 abaixo de mil.

AUMENTO EM PERNAMBUCO

Nesta quinta-feira (09), a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco registrou 1.166 pessoas infectadas pelo coronavírus no Estado, ou seja, mais de mil casos de covid-19 em um intervalo de 24h.

A recomendação do Sindicato das Escolas Particulares de Pernambuco (Sinepe) foi repassada para os donos de colégios durante assembleia realizada pela categoria na última segunda-feira (06).

"Temos orientado as escolas particulares a seguirem o protocolo em vigor, sobretudo no uso da máscara e no cumprimento dos prazos quanto à quarentena e à testagem antes e depois da ocorrência dos sintomas comuns", diz o presidente do Sinepe, José Ricardo Diniz.

"Também reforçamos que pode ocorrer a necessidade de manter uma ou mais turmas em aulas remotas, por tempo determinado, dentro das regras do protocolo vigente", informa José Ricardo.

ALERTA

Nesta quinta-feira, uma das escolas de Recife que seguiu a orientação do Sinepe foi o Colégio Damas, um dos mais tradicionais do Recife.

"Depois de uma queda nos índices de adoecimento no começo do ano, vivemos agora uma nova onda ascendente de adoecimento. Combinado a ela, houve um avolumamento de casos de Síndrome Respiratórias Agudas Graves (SRAG) em crianças no nosso Estado", diz um trecho do comunicado da escola enviado aos pais.

"Esse cenário reforça que as medidas de biossegurança na escola continuam como ferramenta de prevenção e bloqueio para o aparecimento de surtos", complementa o Damas em outro trecho do documento. A escola reforça que o uso de máscaras continua obrigatório em ambientes fechados.

CENÁRIO NACIONAL

No País, o cenário também é de aumento de casos. A média móvel de novos infectados de covid-19 no Brasil cresceu 100,3% em duas semanas, segundo dados do consórcio de veículos de imprensa.

Havia 14.644 casos no dia 22 de maio. Subiu para 29.342 no último domingo (05), após oito dias de alta. Assim, a média voltou aos níveis do fim de março deste ano.

VACINAÇÃO

Em Pernambuco, o índice de crianças com esquema vacinal completo contra a covid-19 (duas doses) é baixo. Desde janeiro crianças de 5 a 11 anos podem tomar a vacina. Conforme a Secretaria Estadual de Educação, até esta quinta-feira somente 28,35% dessa faixa etária estavam totalmente imunizados.

Chama a atenção que de cada 10 crianças, apenas a metade foi levada pela família para ser vacinada com a primeira dose (56%).

Entre os adolescentes de 12 a 17 anos, 58,06% estão com esquema vacinal completo. Para esse público foi liberada pelo Estado a aplicação da dose de reforço (terceira). No Recife, esses jovens já podem tomar a imunização pela terceira vez.

 

Comentários

Últimas notícias