ELEIÇÕES 2022

PT e PSB querem mais tempo para formalizar federação

Gleisi Hoffmann e Carlos Siqueira, presidentes do PT e PSB, respectivamente, vão intensificar agenda de encontros nas próximas semanas e devem começar discutindo Pernambuco

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 20/01/2022 às 15:55
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Lula faz visita ao Estado de Pernambuco, para estreitar os laços para a campanha Presidencial de 2022, com o Governador, Paulo Câmara, e Prefeito do Recife, João Campos, ambos do Partido PSB. - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

Após reunião entre dirigentes do PT e PSB, Gleisi Hoffmann reafirmou a disposição do seu grupo para formar uma federação com os socialistas. A presidente do Partido dos Trabalhadores não nega a resistência de quadros da legenda e, sem concretizar o acordo, avalia pedir ao TSE prorrogação do prazo para definir a formação da aliança.

"Vamos fazer esse esforço. Temos resistência em ambos os partidos, mas vamos fazer o esforço porque é importante não só para a eleição, mas para o Brasil. (...) Não temos nenhuma definição concreta porque vamos ter o processo, agora, dessa construção", disse Gleisi Hoffmann sobre a formação da federação do PT com o PSB, PCdoB e PV.

Nesse sentido, a deputada diz avaliar ser importante entrar com um recurso, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pedindo a prorrogação do prazo para a formalização da federalização. A data limite, neste momento, é o dia primeiro de março.

Na próxima semana, deve ter início uma série de reuniões entre os dirigentes dos partidos. A primeira, na próxima quarta-feira, deve-se debater a situação em Pernambuco junto com o PSB e o PCdoB. Recentemente, o senador Humberto Costa (PT) defendeu a avaliação do seu nome como candidato ao Governo pela Frente Popular.

REPRODUÇÃO/RICARDO STUCKERT
Paulo Câmara, Lula e Humberto Costa se encontraram em Brasília - REPRODUÇÃO/RICARDO STUCKERT

A presidente do PT defende o nome do senador para disputar o governo, mas, assim como Lula (PT), reafirmou a prioridade do PSB indicar a candidatura ao executivo estadual. Pernambuco é governado pelos socialistas desde 2007 e considerado um estado chave para a legenda comandada por Carlos Siqueira.

Gleisi também comentou que o PT colocou o nome de Humberto Costa à disposição após Geraldo Júlio, considerado o candidato natural do PSB ao Governo, negar em diversas ocasiões ter interesse na candidatura ao executivo estadual.

Em tempo, Carlos Siqueira afirmou que Paulo Câmara não será candidato a cargo eletivo neste ano e deve permanecer no cargo até o final do mandato, conduzindo a negociação e a possível sucessão. O presidente do PSB ainda disse que seu partido deve anunciar o candidato até o fim de fevereiro.

Comentários

Últimas notícias