Politização da violência

Hackers derrubam site que acompanha assinaturas na CPI do Caso Beatriz

Líder do governo orientou bancada a não assinar pedido e disse que SDS já fez o que foi necessário para achar o criminoso

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 24/01/2022 às 12:41
ARQUIVO PESSOAL
CRUELDADE Beatriz Mota foi assassinada a facadas durante uma festa no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina, no Sertão - FOTO: ARQUIVO PESSOAL
Leitura:

Nesta segunda-feira, a plataforma que acompanha as assinaturas dos deputados estaduais na proposta de criação da CPI do polêmico caso Beatriz sofreu ataques de hackers e está fora do ar.

Por sugestão do deputado Romero Albuquerque, desde a última semana, parlamentares têm se movimentado para investigar o caso na Assembleia Legislativa de Pernambuco. Os defensoers da proposta afirmam que o site foi criado para que a população pudesse acompanhar a adesão dos demais deputados ao pedido.

Albuquerque garante que a plataforma voltará ao ar ainda hoje.

"Não sabemos de onde partiu essa ação, mas estamos trabalhando para descobrir. O site era uma ferramenta de interesse público, e esse foi um ataque não a nós e nem somente ao Caso Beatriz, mas a toda sociedade", disse Albuquerque. "Apesar das discordâncias entre nós e nossos colegas, não acreditamos que tenha sido iniciativa de algum deles. Seria terrível se fosse", afirmou.

O deputado diz que, de acordo com o servidor, os ataques aconteceram durante a madrugada.

Até o momento, a proposta tem 13 assinaturas. Outras 4 são necessárias.

"De qualquer forma, o movimento mexeu com o recesso parlamentar: muitas movimentações nos bastidores e poucas publicamente levam a crer que não será fácil convencer os demais deputados a assinarem o documento".

Comentários

Últimas notícias