Frustração dos eleitores

Bolsonaro perdeu 15 milhões de eleitores e Nordeste nada tem a ver com queda

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 27/01/2022 às 13:04
CAROLINA ANTUNES/PR
Presidente Jair Bolsonaro - FOTO: CAROLINA ANTUNES/PR
Leitura:

E qual o problema do presidente Bolsonaro, de acordo com a mais recente pesquisa Ipespe?

O sociólogo Antônio Lavareda conta que, de acordo com o levantamento nacional do instituto, o presidente perdeu cerca de 15 milhões de eleitores.

"E o volume das defecções é uma variável decisiva para um imcumbente".

"Votaram nele, em 2018, 34%, arredondados, sobre o total do eleitorado no primeiro turno e hoje ele marca 10 pontos menos. Retomar o máximo possível desse contingente é o seu desafio. Onde isso ocorreu? Não foi no Nordeste, frequentemente apontado como o seu calcanhar. Não é essa região a responsável pelo declínio. Nela, ele tem hoje os mesmos percentuais que o sufragaram no primeiro turno (TSE), perto de 19% dos votos totais. Da mesma forma, não houve redução expressiva do seu apoio entre os mais pobres de todo o Brasil. No segmento de renda inferior a dois salários mínimos ele atinge hoje, praticamente, seu patamar de três anos atrás", afirma.

"Onde está o problema? Os eleitores que o presidente perdeu possuem renda nas faixas de 2-5 SM e +5 Salário Mínimo. Residem sobretudo no Sudeste. E os frustrados são na grande maioria homens. Entre as mulheres, onde seu apoio sempre foi reduzido, a perda foi relativamente menor".

 

Divulgação
Antonio Lavareda, presidente do Conselho Científico do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (IPESPE), responsável pela pesquisa. - Divulgação

 

Comentários

Últimas notícias